Mentiras Perigosas - CRÍTICA

Nada aqui faz sentido



Um mistério para ser construído precisa estabelecer seus elementos dentro de uma atmosfera onde, cada vez mais, consegue fazer com que o espectador fique entretido com os acontecimentos da sua história. E estes pontos não são encontrados no novo filme da Netflix, Mentiras Perigosas!
O que seria então um suspense sobre um assassinato, envolvendo uma herança milionária e um casal jovem altamente contraditório, se torna um amontoado de informações que não conseguem se conectar ou transmitir algum sentido!
Sem contar nas atuações dignas de novela mexicana da tarde!

Katie e Adam são um casal que está completamente endividado. E após acontecimentos que quase colocaram suas vidas em perigo, eles se mudam, enquanto que a jovem vai trabalhar como cuidadora de um senhor idoso e solitário. Logo, a amizade com esse homem cresce, porém ele vem a falecer e em seu testamento deixa tudo o que possui para Katie. Só que existem coisas que não foram explicadas, envolvendo o passado do casal, da casa onde estão e principalmente, dessa herança tão repentina.

Michael Scott comanda a produção e certamente não soube fazer a lição de casa sobre filmes de suspense. 
Toda a construção do ritmo da trama é completamente desconexo, pois as cenas não encaixam numa continuidade, há cortes abruptos, transições que não auxiliam no entendimento da história e algumas tentativas de susto completamente vergonhosas. Isso faz com que a produção transmita um ar de amadorismo em seu aspecto técnico em vários elementos.
Figurinos que se repetem incansavelmente, uma maquiagem mal empregada e uma falta lógica total quando observamos os cenários, já que objetos somem de cena, reaparecem ou a ambientação não se adéqua aquele lugar, principalmente em certos cômodos da casa! 
Junte isso as atuações mal dirigidas de Camila Mendes e Jessie T. Usher, um casal completamente sem química. Cam Gigandet, que adora fazer um papel de vilão, mas não encontrou o talento ainda e Jamie Chung, superando todos os demais com a pior cena de surpresa que pode existir nos últimos anos no cinema!


Era pra ter uma frase do filme aqui, mas a gente só queria que ele acabasse
Quando todos os detalhes técnicos ficam de lado, tentamos encontrar um pouco de "brilho" no roteiro! 
Não encontramos!
Por mais que esforce em criar uma atmosfera de mistério, tanto perguntas quanto respostas se desenvolvem aleatoriamente, acrescentando cada vez mais situações, acontecimentos e elementos que não irão ser explicados
Se o grande enigma era quem tinha matado o dono da casa, isso fica de lado para mostrar o quanto Katie e Adam podem mudar com o dinheiro. (Detalhe que o único personagem negro recebe todas as características questionáveis da trama pelos demais)
Se existe a possibilidade do dinheiro herdado ser errado, é inserido um novo mistério: diamantes que surgem na casa!
Há um corpo em um cômodo da casa! Esquece, vamos para Katie se questionando sobre o dinheiro!
Se há um possível vilão, uma rápida busca no Google já entrega nome, os crimes e ainda mais aleatório, ele já está na casa, trazendo consigo um plot-twist tão sem sentido quanto o filme como um todo! E após o tanto de mortes que ocorrem nesse lugar, já dava pra fazer mais um capítulo de O Grito com os espíritos que ali ficaram!

Mentiras Perigosas é uma grande vergonha alheia misturada com tentativa de suspense jovem e dinâmico, ao mesmo tempo que tenta falar sobre o dia a dia de um casal com "problemas".
Nada disso é construído!
Nada disso faz sentido!
E a direção não se dá o trabalho de ao menos criar situações que comprovem a relevância da produção! 
Resultado: um festival de atuações ruins em uma trama misteriosa facilmente resolvida!
Foi triste!

Nota: 1/5 (Ainda bem que acabou)

Mentiras Perigosas está na Netflix!
Tecnologia do Blogger.