Home Before Dark: 1ª temporada - CRÍTICA


O mundo da ficção já nos apresentou memoráveis e incríveis detetives para desvendar os maiores crimes e mistérios que de cara pareciam insolúveis. Sherlock Holmes, o atrapalhado Inspetor Clouseau de A Pantera Cor-de-rosa, ou ainda Gil Grissom de C.S.I. são alguns dos personagens que nos levavam à bordo de suas de suas empreitadas investigativas. 
Nem sempre o inusitado se prende à ficção, pois Home Before Dark traz para as telas a jornada de uma pequena e autêntica detetive de apenas 9 anos de idade, Hilde Lisko (Brooklynn Prince)
E tudo isso baseado em uma personagem real.

Mudanças e o Início de Tudo


A série acompanha a família Lisko que muda de Nova Iorque para a pequena Erie Harbour no interior do estado de Washington. Matt Lisko (Jim Sturgess) cansado de seu emprego de jornalista investigativo na grande cidade decide voltar à sua terra natal enfrentando os piores fantasmas de seu passado que ficaram lá. Como de costume em pequenas cidades interioranas, a família não tem a melhor recepção e encaram o mau tratamento comum aos forasteiros, em especial Matt, que é visto com maus olhos por sua conduta no julgamento de um caso de sequestro e assassinato ocorrido há 31 anos na cidade.

Eu me importo com a verdade. Porque se a verdade não importa nada mais importará.

Enquanto sua família chega na cidade sob um certo sentimento de medo, Hilde observa tudo de uma perspectiva diferente. Sua desconfiança começa quando uma vizinha com quem ela conversou no dia de sua chegada (e que também era amiga de infância de seu pai) morre de um acidente (causa dada pela polícia local). A garota, que observou pistas que davam indícios de um crime, não acredita na versão oficial. Tudo isso acaba lhe levando à sua jornada de investigações e a descobrir que existem muito mais mistérios e histórias mal resolvidas no passado da cidade. Hilde sai em sua caçada por justiça e pela verdade e ela não vai medir esforços para conseguir chegar a isso.
 
A família Lisko Matt (Jim Sturgess), Ginny (Mila Morgan), Bridget (Abby Miller), Hilde (Brooklynn Prince) e Izzy (Kylie Rogers).

Curiosidade, mistério e uma protagonista única


A essência do enredo cativante da série mora no curioso fato que é haver uma repórter investigativa tão jovem. Isso dá uma perspectiva totalmente nova à forma como enxergamos um personagem infantil numa produção televisiva. É incrível ver uma ótima detetive na forma de uma criança tão poderosa e forte, essa construção quebra barreiras sistemáticas de quem pode ser o grande protagonista de uma série sem se prender aos clichês intrínsecos ao seu grupo etário. Hilde é muito destemida e isso reforça sua capacidade de inspirar crianças a ser sobrepor em um de seus mais difíceis desafios como o bullying, por exemplo. Desafio esse que é algo recorrente na vida da garota em sua escola, mas que a mesma não se deixa ser afetado por ele.

Trip (Aziza Scott), Hilde Lisko e sua mãe Bridget.
Na trama a personagem ao lado de sua família e amigos partem em busca de respostas para um famoso sequestro que ocorreu no passado envolvendo o melhor amigo de seu pai e que permaneceu cheio de lacunas, inclusive levando a prisão perpétua uma pessoa inocente. Em meio às investigações percebe-se que há um certo desvio e má fé da polícia local que faz de tudo para conter o trabalho da menina no intuito de encobrir o serviço mau feito pela corporação no passado. Junte isso ao enfrentamento do trauma deixado em seu pai, Hilde o mostra a necessidade da atuação do jornalismo investigativo para solucionar o caso que o passado não deixou descansar.
– Seja esperta.
– Prefiro ser corajosa.
– Seja os dois. 
A curiosidade de Hilde faz com que perguntas que não foram feitas venham à tona e pontos até então inexplorados se tornam a chave para saber quem foi o responsável pelo sequestro e possível assassinato do garoto Richie Fife. Desafiando todos os empecilhos que aparecem em seu caminho, comovendo seus amigos e toda uma cidade, a garota e seu pai conseguem nos levar nos braços em sua busca implacável. Ao mesmo tempo que enfrenta toda a represália de seus colegas da escola, Hilde escreve um jornal reportando todos os achados de sua investigação.

Wesley Witherspoon (Deric McCabe), Hilde e Donny Davis (Jibrail Natambu), os parceiros leais de investigação.
Majoritariamente é possível observar Home Before Dark como uma série destinada a um público infantil/adolescente, porém, a trama procura um ponto de equilíbrio em sua dramaticidade para atingir o público adulto e se tornar uma produção madura e coerente. Existe uma aura de mistério e investigação projetado de forma a sustentar esse equilíbrio.

Arrisco dizer que a temporada chega ao final com seu principal mistério esclarecido, a primeira hipótese levantada pode ser finalmente descartada, e agora a justiça poderá ser feita. 
Ficou em aberto uma lacuna que não acredito ser suficiente para nos conduzir à curiosidade de ver mais uma temporada já que o maior anseio que foi criado veio a ser atendido. Se o time de criação, conduzido por Dana Fox e Dara Resnik, conseguir desenvolver uma nova e envolvente trama para nossa dupla de detetives Hilde e Matt Lisko, não há dúvidas de que vai valer a pena assistir à segunda temporada que já está com sua produção confirmada para 2021.

Hilde e seu pai conduzindo umas das etapas da investigação.
Com uma excelente produção da Paramount Television, a primeira temporada de Home Before Dark está disponível na Apple TV+.

Bônus – A verdadeira Hilde Lisko



Hilde Lysiak é a garota que serviu de inspiração para a criação da personagem Hildo Lisko e da história da série Home Before Dark. Com apenas 13 anos de idade, Lysiak é a integrante mais jovem da Sociedade de Jornalistas Profissionais nos Estados Unidos. 

Em abril de 2016, Hilde estava na delegacia de sua cidade para perguntar sobre um caso de vandalismo quando escutou os policiais recebendo uma ligação reportando um homicídio que teria acontecido em sua vizinhança. Imediatamente a garota foi ao local do crime investigar e junto com seu pai escreveu sobre o caso em seu jornal local o Orange Street News. 

Mesmo com represálias, desconfianças e até mesmo sendo subestimada, a garota segue fazendo seu trabalho de jornalista investigativa reportando as notícias locais. Muitas coisas qua aconteceram na época em que relatou o homicídio são retratadas na série e tais feitos renderam a Hilde inúmeros prêmios e reconhecimento no meio jornalístico de seu país.
Tecnologia do Blogger.