Eu Nunca...: 1ª Temporada - CRÍTICA

Quando você pensa que a Netflix não pode mais te surpreender




O universo adolescente continua sendo explorado por todas as mídias que conhecemos, do cinema às séries, do podcast à música, passando pela literatura, novos produtos atraem cada vez mais o público jovem, que hoje em dia espera uma linguagem cada vez mais próxima da sua. Logicamente, capturando o adulto mais saudosista e nostálgico nesse trajeto.
Contudo, parece que às vezes estamos cercados pelas mesmas histórias, os mesmos dramas e as mesmas situações problemáticas, além da tendência de resolver tudo com uma cena de sexo com um adolescente que parecem ter 30 anos! Assim, Eu Nunca..., chega a Netflix trazendo um novo fôlego para esse tipo de produção, principalmente por se apoiar em questões importantes através de uma narrativa cativante presente em todos os elementos da história!
Vamos conhecer a história de Devi?

Devi Vishwakumar é uma jovem indiana que mora nos Estados Unidos com os pais. Ela está na fase da adolescência e além de todas escolhas, vontades e sonhos que possui, uma perda irá deixar marcas que precisam ser tratadas. Mas tudo isso irá permear diversos caminhos que envolvem relacionamentos, sua cultura, a família e um possível amor!

Uma adolescente como qualquer outra? Não!


O nome Mindy Kaling é conhecido para você?
Se a resposta for negativa, ela é nada mais que a criadora da série, baseando sua vida em boa parte da narrativa que encontramos aqui. Mindy é uma atriz conhecida das comédias como The Office e de filmes como Oito Mulheres e Um segredo, aqui ela emprega toda a verdade, personalidade e características para nos fazer adentrar o universo daquela família indiana que vive nos Estados Unidos. A atriz não pretendia criar uma série ao estilo Riverdale, tanto que há uma piada em Eu Nunca, sobre seus atores serem mais velhos que os pais! Sua intenção era contar uma história única que quebrasse estereótipos e ao mesmo tempo colocasse sua protagonista como centro de todas as ações.

E deu certo!
Contando com a direção de Anu Valia,  Kabir Akhtar, Linda Mendoza e Tristram Shapeero, nomes que já passaram por séries como Community, Veep e Unbreakable Kimmy Schmidt, a produção consegue nos fazer adentrar cada vez mais ao universo de Devi à medida que os episódios vão entregando mais camadas daquela personagem, novas figuras vão surgindo e os principais conflitos passam a se estabelecer.
Sem deixar o humor de lado!
As situações em que a protagonista se encontra estão sempre atreladas a comédia de uma maneira sarcástica, às vezes visual, mas principalmente inteligente. Por isso encontramos piadas sobre a ONU, sobre outros atores de Hollywood, sobre a própria cultura e religião da personagem principal. Além de referências a filmes clássicos dos anos oitenta como O Clube dos Cinco e Gatinha e Gatões.

E muito deste acerto se deve a figura de Maitreyi Ramakrishnan, jovem atriz que superou mais de 15 mil concorrentes nos testes. Por mais que não possuísse experiência em produções televisivas ou de cinema, Maitrevi demonstrou que seria capaz de dar vida a Devi da maneira mais competente possível. E foi o que fez, ao passo que a trama cresce, a protagonista entrega emoção, graça e ao mesmo tempo vergonha alheia por suas atitudes, planos e tentativas de resolver o que for necessário para sua vida dar certo de alguma forma! Assim, nos vemos cheios de sentimentos por Devi, rindo, chorando e vibrando com ela a cada nova cena!


Uma História de muitas histórias

Em sua história, Eu Nunca, é mais do que uma simples obra que trata do cotidiano de adolescentes, pois consegue tratar de temáticas delicadas e necessárias dentro de uma nova geração de espectadores.
Questões de sexualidade, gênero, sobre o futuro, os traumas, a ansiedade que surge ou um abandono sofrido são discutidas de maneira leve, às vezes com uma piada inserida, que não diminui nem um pouco a importância do momento, pelo contrário, apenas demonstra a capacidade de tornar natural certos assuntos que ainda são considerados grandes tabus pela sociedade.

Ao mesmo tempo, o texto, escrito por Mindy Kaling, usa das vivências da autora para nos apresentar uma cultura que às vezes está apegada a inúmeros estereótipos Hollywoodianos, os quebrando por completo, abrindo então possibilidades de representar tradições, acontecimentos e pessoas dentro de uma produção para o streaming. Essa escolha narrativa nos fez ver o mundo pelos olhos de Devi e seu conflito de uma pessoa que às vezes se sente sem um lugar definido para chamar de seu, já que para alguns ela não é indiana demais e para outros não é americana demais. Então, essas construções fazem com sua personalidade ganhe ainda mais nuances, que com a ajuda (ou não) da terapeuta, possam encontrar equilíbrio, principalmente por conta de sua grande perda. Nos fazendo então presenciar um dos momentos mais tocantes da série!


Ao final, Eu Nunca é aquela produção se torna um xodó, um "amorzinho" que quando acaba deixa o nosso coração mais esperançoso em vivenciar bons momentos na vida, em enfrentar aquilo que ainda nos preocupa e principalmente fazer com que as escolhas sejam adequadas a partir de então. 
Com uma direção que sabe como usar o roteiro ao seu favor, mesclando as emoções, indo do drama à comédia, temos uma das melhores séries com temática adolescente da Netflix!
E tudo isso se deve ao talento de uma novata nas atuações e de uma criadora que soube fazer da sua própria vida uma narrativa cativante!
Ah é, já ia esquecendo, tem o Ben e o Paxton! Quer saber? Não importam!
O foco é a Devi!

Eu Nunca está disponível na Netflix!
Tecnologia do Blogger.