Os Cavaleiros do Zodíaco: Alma de Ouro - CRÍTICA

Eleve-se ao máximo, cosmo dourado!



Os Cavaleiros do Zodíaco foi um grande sucesso na década de noventa! 
A legião de fãs em torno dos defensores de Atena se tornaram cada vez maior ao longo dos anos, novos mangás, animes e produtos foram criados, justamente para atrair admiradores recém chegados e deixar os mais antigos, cada vez mais envolvidos com a história de Seiya.
Contudo, deixamos os Cavaleiros de Bronze de lado para focar em outro grupo tão poderoso quanto, Os Cavaleiros de Ouro. Nessa aventura, Aiolia, Mu, Milo, Aldebaran, Saga e os demais são os protagonistas em uma jornada que os colocará frente à um novo desafio, elevando ainda mais os seus poderes que já são quase que insuperáveis!
E para nós brasileiros há mais um ponte importante: a dublagem clássica de volta!

Depois de sacrificarem suas vidas para abrir caminho no Muro das Lamentações, durante a luta contra Hades, Os Cavaleiros de Ouro voltam à vida em Asgard. A princípio vemos Aiolia de Leão que ao encontrar uma jovem chamada Lyfia descobre que há algo de errado no lugar e que um novo mal está despertando aos poucos. Assim, os cavaleiros irão fazer o possível para deter essa nova ameaça e contarão com a ajuda de novas armaduras de ouro!

Lançado em 2015, o anime conta com treze episódios e foi elaborado como uma das comemorações pelos quarenta anos de carreira de Masami Kurumada, trazendo elementos do mangá e de outros escritos do autor para dar mais peso a aventura.
A produção entrega um apuro técnico assertivo, tanto nos traços, quanto nas cores e nas ambientações criadas por onde os personagens percorrem. O desenho é fluido, bonito de assistir e em alguns momentos aproveita do cenário gélido para brincar com a fotografia, enaltecendo ainda mais os detalhes nas armaduras, nas roupas e nas feições de cada um. Assim como em Lost Canvas, quando os Cavaleiros entram em combate, seus golpes e poderes, que já conhecemos, ganham novas movimentações, cores e formas de serem "lançados" contra os seus inimigos. Para isso o uso do dois 2D, mesclado com nuances em 3D, deixa tudo mais vivo em tela, ganhando luzes e elementos que tornam tudo mais atrativo. E falando em atrativo, a dublagem brasileira original, retorna em maioria, para nos fazer sentir aquele sentimento nostálgico quando ouvismo: "Outra Dimensão", "Cápsula do Poder", "Agulha Escarlate", sendo ditos pelos Cavaleiros de Ouro.
Por outro lado, o que pode parecer estranho é o novo tratamento dado ao desenho dos personagens, que aparentam ser muito mais novos do que seriam, devido a continuidade da história, contudo é um detalhe que não estraga em nada a experiência do anime.



Mas por que os Cavaleiros de Ouro foram ressuscitados e por quem?
Essas respostas vamos obtendo ao longo dos episódios, que começam focando nos personagens individualmente e até mesmo em duplas nada prováveis, como Afrodite e Máscara da Morte que certamente tem a melhor interação de todo anime. O primeiro segue seu estilo egocêntrico, já o segundo expressa todo o desejo por momentos de festa. Ao mesmo nem todos que estão de volta se mantém do lado de Atena, o que gera uma certa estranheza nas ações de tal cavaleiro, justificada por algo do passado, mas que não tem tanto sentido assim.

E o que em Cavaleiros do Zodíaco faz sentido, não é mesmo?

A narrativa é uma grande manifestação de nostalgia com uma dedicação técnica e do texto em nos fazer relembrar do clássico, porém com um tom de novidade. A nova ameaça mescla o que já conhecemos de outros antagonistas, apresentando um toque novo, principalmente quando o roteiro se apoia nas lendas da mitologia nórdica e ao se opor aos heróis, vamos conhecendo mais ainda de sua personalidade. Aiolia é destemido, contudo carrega assuntos do passado a ser resolvidos. Dohko é totalmente desprendido de qualquer regra; Aldebaran é cauteloso e observador; Mu segue sendo o sábio e ao lado de Shaka, expressam a razão dos cavaleiros; Saga é o mais poderoso e sabe disso; Milo é determinado e para Camus, ShuraAiolos, sobra serem coadjuvantes com momentos interessantes pontuais.
E quando juntos, manifestam o auge do que todo fã queria assistir, além das novas armaduras divinas que são tão lindas no anime quanto nos produtos lançados na mesma época!

Os Cavaleiros do Zodíaco: Alma de Ouro é uma grande manifestação nostálgica de um clássico, que consegue acrescentar novos detalhes e trabalhar com assertividade os detalhes técnicos.
O traço, as cores e as novos elementos empregados, principalmente durante as lutas, fazem deste uma verdadeiro espetáculo para os fãs da franquia e lógico, apresenta aos novos, personagens tão importantes da cultura pop.
Desta forma, quando ouvimos os golpes tão conhecidos, sendo ditos pelos dubladores originais, a lembrança da infância, no caso de alguns, irá pegar o espectador em cheio, que certamente irá repetir com eles os poderes e torcer para que o mal seja derrotado!
Por isso, eleve-se ao máximo, cosmo dourado!

Cavaleiros do Zodíaco: Alma de Ouro está disponível na Crunchyroll!
Tecnologia do Blogger.