Lost Girls: Os crimes de Long Island - CRÍTICA

Um crime ainda sem solução merecia uma produção melhor



Existe um pensamento sobre as produções cinematográficas da Netflix: Nenhuma delas é boa!
Diferente das séries, os filmes da "locadora vermelha" nem sempre conseguem o mesmo impacto, público e apreço quando assistidos. Isso faz com que a cada novo lançamento de "produção original", venhamos a tratar com desconfiança. E se tratando de Lost Girls: Os crimes de Long Island, essa máxima quase se confirma, pois ao contar uma história baseada em fatos, falta espaço para que o drama realmente venha convencer, nos deixando mais interessados quando as informações reais surgem em tela do que com a produção em si!
Este é um crime americano sem solução e que merecia ser retratado de uma maneira melhor.

Shanna Gilbert era pra ter ido jantar com a mãe e as duas irmãs mais novas em uma noite, mas ela nunca chegou lá. Sua mãe, Mari, se coloca então em uma busca por informações, contudo, quando sua filha pode estar entre os corpos de outras jovens assassinadas, ela não aceita tal fato e começa a investigar por conta própria o que possa ter acontecido. Tentando vencer negligência da polícia e o preconceito.

Liz Garbus (What Happened, Miss Simone?) é quem comanda a produção. A diretora é famosa por suas produções documentais e utiliza muito dessa sua habilidade de contar histórias reais para apresentar essa narrativa nada simples de ser contada.
Ela escolhe misturar os fatos, através de reportagens e filmagens verdadeiras, com as sequências fictícias, o que dá maior carga sentimental a certos momentos, fazendo com que a linha de pensamento do roteiro apresente informações e ganhe a desconfiança do espectador. 
Por outro lado, esse aspecto documental de sua direção pode prejudicar e muito a experiência de quem assiste, pois ao mesmo tempo que "mergulhamos" nos elementos que cercam tal mistério, tudo soa altamente superficial em determinadas sequências. Que se tornam um tanto quanto repetitivas! Mari sempre está em determinado local encontrando pistas e rapidamente já está junto dos policiais que deveriam fazer o trabalho correto diante do caso. Essas idas e vindas não facilitam a história, acabam dando um ritmo mais "novelesco", se distanciando de um thriller investigativo, que poderia impactar ainda mais. 
Sem contar a duração da produção, rápida, quase que episódica!


Fui desprezada, ignorada, mas não serei silenciada
Se a direção não encontra o caminho certo para usar os elementos à seu favor, é em seu texto que Lost Girls apresenta maior consistência.
Não á apenas um caso investigativo, se torna uma jornada afim de comprovar a verdade, o caráter e a importância da vida de qualquer pessoa. O fato da jovem desaparecida ser uma prostituta se torna um estopim para que comentários da mídia, da sociedade e até mesmo as ações da polícia, sejam vistos como preconceituosos, sendo a última dotada de total negligência perante as investigações. Desta forma, a mãe precisa passar por situações constrangedoras, por perguntas que não auxiliam o caso, mas que colocam em questionamento se tudo aquilo é realmente necessário ao se tratar de uma garota de programa, logicamente tais argumentos partem de policiais homens, endossados também por outras figuras de poder.
Esse poder também é questionado, já que por se tratar de crimes contra pessoas de baixa renda, as situações não possuem devida atenção, somente quando há algum tipo de "reviravolta" no caso, justamente para que a mídia tenha material e os investigadores apareçam.
Entre negligência, preconceito e a forma como uma classe é tratada por outra, fica o pensamento sobre inúmeros assassinatos, desparecimentos e crimes que ocorrem em nossa sociedade, onde minorias são esquecidas, culpabilizadas e silenciadas, mesmo no papel de vítima!

Lost Girls: Os crimes de Long Island apresenta uma história real que demora a conquistar o impacto pretendido, porém quando encontra esse caminho a produção acaba finalizando. 
Com uma direção que não sabe qual rumo prosseguir, se é do documentário ou da ficção, perde-se um pouco do peso da obra, contudo é em seu texto que encontramos elementos que nos levam querer saber muito mais do que aconteceu e abraçar a protagonista!
Entre idas e vindas, com um desfecho que causa espanto, faltou um pouco mais ousadia e criatividade para dar a essa história a forma devida na tela. Não se trata de uma obra realizada de maneira desleixada, entretanto o impacto real ocorre nos cinco minutos finais, justamente com a realidade e não com a narrativa assistida.
Um crime ainda sem solução merecia uma produção melhor!

Nota: 2,5/5 (Quase lá)

P.S: 'Lost Girls - Os crimes de Long Island' você encontra na Netflix!
Tecnologia do Blogger.