I am Not Okay With This - REVIEW

Poderes descontrolados podem contar boas histórias?


O ensino médio é uma das fases da vida onde encontramos diversas situações complicadas. Sem contar as pessoas que cercam esse ambiente.
Nem sempre pra todas as coisas funcionam da melhores formas possíveis e, certamente, quem já passou, ou está passando por lá, desejou em algum momento que acabasse logo. Então imagina quem está descobrindo que possui poderes paranormais?

Esse é o caso da protagonista de I am Not Okay With This, nova série da Netflix, que presta homenagens a diversas produções da cultura pop, fazendo Syd ir de Jean Grey à Carrie em poucos episódios, funcionais, mas que talvez nos façam comparar à outros produtos já lançados há algum tempo.

Syd é uma adolescente do ensino médio que não está nada confortável com as situações que a cercam. Não possui um bom relacionamento com a mãe, pouco fala com o irmão, possui poucos amigos e o pai cometeu suicídio no porão de casa. Mas nada poderia ficar pior, do que a jovem descobrir que possui habilidades de mover objetos, explodir coisas ou fazê-las quebrar, somente com o poder da mente, ou seja, além de tantas questões, mais essas habilidades chegaram, em péssima hora!

É uma Carrie, a Estranha pra uma outra geração!
Ok, pessoas do marketing, vamos com calma!
Por mais que exista esse apelo, a produção é um grande festival de boas referências e momentos, logicamente honrando os quadrinhos criados por  Charles Forsman, dos quais se baseia, contudo se olharmos o que é apresentado com maior atenção parece que a série nunca atinge o potencial que deveria.

Lá nos últimos episódios quando começamos a entender um pouco mais sobre Syd, seu relacionamento familiar, o passado do pai e até mesmo como seus poderes despertam, a narrativa fica interessante de ser acompanhada. E o grande problema é que da mesma forma que a empolgação vem, o último episódio também vem e acaba!


Ou seja: I am Not Okay With This você prometeu! Netflix, amiga, poxa!
Eu sei, eu sei!
É muito legal ver uma adolescente se descobrindo, usando seus dons recém descobertos para realizar coisas pessoais, até porque ninguém precisa ficar salvando o mundo o tempo todo e muito menos juntar amiguinhos nerd's para enfrentar criatura de outras dimensões! (Vocês entenderam)

E talvez seja nesse individualismo e egoismo da personagem que a obra ganhe maior força!
Syd é interessante pois podemos encontra-la todos os dias no ambiente escolar, é aquela garota que sempre num canto, às vezes esperando alguém para conversar ou simplesmente não sabe como se aproximar dos demais. Fazendo com que as circunstâncias estranhas dificultem ainda mais o seu cotidiano.

Apesar do charme, das referências, das boas atuações de Sophia Lillis e Wyatt Oleff, e do humor sagaz construído de forma inteligente, a produção soa mais como um spin-off de outras séries da Locadora Vermelha, do que algo que funciona de maneira individual!
Talvez tenha sido lançada na época errada?
Talvez as homenagens não funcionem?
Ou esse papo de "Carrie, A Estranha" para uma nova geração não funcione pra todos?

Então, assista I am Not Okay With This e tire suas conclusões!

E você que já assistiu, deixe seu comentário lá no nosso Instagram!
Tecnologia do Blogger.