Altered Carbon: 2ª Temporada - CRÍTICA


Bom dia, boa tarde ou boa noite!

Vamos falar de polêmica, vamos falar do Falcão (Anthony Mackie), vamos falar não de um, mas de dois Kovacs! Sim, essa confusão mesmo!
Já começo evidenciando minha insatisfação, pois espero a dois anos por essa merda essa produção e tudo o que recebi foi uma primeira temporada versão Michael Bay (Não estou chamando o diretor de ruim, vocês estenderam o que eu quis dizer).
Então, está na hora daquele ritual padrão: Senta, pega algo pra dar aquela beliscada, cuidado com a sede depois, fica bem confortável e sem mais enrolação... Vem comigo!

Altered Carbon é inspirado em uma série de três livros escritos por Richard Morgan: Carbono Alterado, Anjos Partidos e Fúrias Despertadas (Todos os três podem ser adquiridos na Amazon clicando sob o nome do livro, lembrando também que estão em ordem e Amazon paga a gente). 
A Netflix fez uma primeira temporada incrível introduzindo os dois primeiros livros. Seu resumo foi excelente, sua caracterização foi impressionante, eles com certeza trouxeram algo incrível para os fãs de sci-fi e cyber punk, entretanto a segunda temporada falhou miseravelmente e eu explicarei o porquê.

Vamos começar com a premissa. 
A ideia original era adaptar o terceiro livro com leves modificações, mas o que fizeram foi criar um romance bem piegas e destruir a personalidade de Kovacs
Nosso protagonista agora é um babaca que desconta tudo em todo mundo (Coitado do Poe) e fica pelo espaço procurando sua tão amada Quellcrist Falconer que por acaso queria manter distância dele, porém assume amá-lo também.

"Leves modificações"!? Ele está atrás de Quell no terceiro livro? Sim, entretanto, o foco primário não é o amor. Ele não desconta toda a sua frustração em personagens amáveis e que eu com certeza queria como melhor amigo, como Poe. Tudo é muito confuso, afinal lembramos dele perdendo sua capa na primeira temporada (Vou explicar esse conceito no próximo parágrafo), começando como uma cantora nessa e terminando como Anthony Mackie!


Nesse mundo, a morte é banal. 
Suas consciências são guardadas em cartuchos no fim de suas espinhas. Seu corpo morreu? Transfira-se para outro, simples? Nem tanto. Aqui, fica bem clara a diferença entre ricos e pobres. Nem todos podem pagar por mais uma capa e acabam se tornando sucata em um lixão qualquer. Os mais ricos pagam até por backups, assim, podem renascer em um novo cartucho e novo corpo idêntico ao antigo em qualquer momento. Isso gera uma guerra entre o Protetorado e a Resistência. Esse conceito inteiro é incrível, simplesmente genial, pena que essa genialidade é abordada apenas na primeira temporada.

No primeiro ano, a série nos ensinou os conceitos, ensinou sobre a guerra, sobre sofrimento, dor e que nesse mundo ainda existem pessoas que morrem e não voltam. Nos mostraram um protagonista com garra e sua IA de apoio (Poe) explorando esse mundo, e principalmente meu planeta favorito, o Mundo de Harkon, local onde vivem os mais poderosos e mais degenerados... Todos no mesmo lugar. As interações eram fantásticas e a personalidade de Korvacs era incrível.

Na segunda temporada, infelizmente Anthony Mackie não trouxe nada disso, apenas no encontramos algumas nuances interessantes nos episódios finais (Suponho que foi culpa da direção)
As personalidades não mudam após trocarem de capa, mas Korvacs mudou e mudou muito. Começando pelo tiro nas costas pelas primeiras cenas, caramba... Ele jamais deixaria aquele bala pegar. Agora, falando do ator... Ele está muito mais cômico e "atrativo" ao público geral. Trouxeram um cara com um início babaca para depois se redimir e achei ridículo. Na primeira temporada, um cara gente boa que trata bem aqueles que estão do seu lado. Na segunda? Desmerece todo mundo para beijar os pés da Quell.


Conclusão? 
Esperei dois anos por efeitos visuais o tempo todo (Funcionam, mas nem tanto), um romance desnecessário e uma troca de personalidade completamente desnecessária? Foi isso mesmo que recebi? 
O protagonista já cativava na primeira temporada, não havia necessidade de "reiniciar" por conta de um novo ator. A trama ficou muito focada no romance, esqueceram o Clone, desmereceram o Poe e todo o resto. As lutas até foram aceitáveis, mas a maioria está extremamente abaixo da primeira.
Simplificando, quer assistir? Não compare com a primeira, ou vai se arrepender. 
Ah é! A Netflix já confirmou uma nova temporada!

Enquanto escrevo isso, a Netflix soltou uma nova série em branco no catálogo chamada Altered Carbon: Resleeved
A sinopse diz o seguinte: "Nessa adaptação formato de anime, Dai Sato, o cérebro criativo por trás de "Cowboy Bebop", explora e expande o universo de "Altered Carbon". Um anime marcado para 19 de Março. Eles conseguiram me deixar ansioso a partir do momento em que citaram um de meus animes favoritos (Cowboy Bebop).

Já que essa obra prima foi citada, nada melhor do que me despedir dessa forma... "See You Space Cowboy".
Tecnologia do Blogger.