111: Pabllo Vittar - Artigo


Quase uma semana depois do seu lançamento oficial, “111” ainda tem muito a dizer, é óbvio. 


Na última terça (26) o álbum foi lançado, como uma estratégia de mitigar os danos causados pelos vazamentos. 


É ruim que vazamentos ainda ocorram nos dias de hoje. Esse é um trabalho que vem sendo pensado há muito tempo, mas é aquela coisa: fazemos dos limões uma saborosa limonada e, até agora, tudo tem se mostrado como a letra de uma das músicas do disco, 'a chuva da vitória vai reinar no fim.
Comenta Pabllo Vittar


Talvez não exista nada mais doloroso para um artista do que ter seu trabalho arrancado dos seus braços. É como se aqueles que estão envolvidos na indústria fossem sádicos suficiente para perpetuar esse ato desumano.  

Escrever sobre um trabalho musical, muitas vezes é ir além das faixas, é tentar entender o momento no qual quem lançou vive, assim como falamos no texto de AmarElo do Emicida, ao olhar para o atual trabalho da Pabllo, fica bem claro a sua intenção. Longe de querer provar algo para o mercado brasileiro, a artista faz questão de deixar bem nítido o seu papel no atual cenário pop. 

Um som contínuo, quase como uma segunda parte de Não Para Não (2018) o álbum “111” consegue mostrar que existe uma coerência no diferente, que mesmo indo entre os ritmos, uma ideia foi defendida até o fim. 

Ao anunciar o álbum, Pabllo afirmou que este seria “um disco de parabéns” e é assim que a gente se sente ouvindo, no meio de uma grande festa, uma celebração musical, entre as faixas é possível notar todo o trabalho musical dos seus produtores que vem acompanhando e desenvolvendo de sua carreira de longa data.

Eu até poderia dizer que em determinado ponto, algo ali era “anti-climático”, afinal, apenas três das novas músicas eram inéditas, porém, tudo parece ficar claro no final, o recado e a mensagem é bem direta, Pabllo mostra que entende de clima, em Rajadão, uma das músicas novas do álbum, toda a sua capacidade vocal e técnica é colocada em prova, e não parece ser intimidada, pelo contrário, aproveita e se ergue, se levanta e levanta aqueles que acreditam neste mesmo ideal. 

Assim ela termina o álbum dizendo para mim e para você:

“O poder da vitória vai curar a dor / ... / A chuva da vitória vai reinar no fim / E quem caiu vai levantar e a gente vai vencer / Sofrimento acabar e o amor vai crescer” 
Tecnologia do Blogger.