Um Espião Animal - CRÍTICA

Nunca subestime o poder de um bom apetrecho


"Bond, James Bond"!
A frase clássica de apresentação do espião mais famoso do cinema já foi parodiada diversas vezes dentro da cultura pop. Séries e filmes já usaram da persona tão conhecida para contar suas próprias histórias de um jeito diferente, seja com agentes mais novos ou com jovens bem treinadas! E neste ponto, Um Espião Animal usa das referências para contar algo a sua maneira, da maneira que alcance um público que não conhece muito bem esse território de investigação e salvação do mundo. 
Para isso, com um elenco de dublagem que conta com Will Smith e Tom Holland, a produção consegue divertir crianças e adultos, além de mostrar que nunca se pode duvidar de um bom dispositivo!
E quanto mais esquisito, melhor!

Lance Sterling (Will Smith) é o maior espião que existe, porém sua última missão acaba dando errado e ele passa ser alvo da agência pela qual trabalha. Para limpar seu nome ele vai atrás do jovem, e demitido, cientista Walter (Tom Holland) e o que deveria ser apenas uma forma do agente desaparecer, o transforma em um pombo. Assim, a dupla nada convencional parte em uma aventura onde deverão trabalhar juntos para recuperarem suas carreiras, mas principalmente, salvar o mundo!

Nick Bruno e Troy Quane (Snoopy e Charlie Brown, A Era do Gelo) comandam a produção usando das inúmeras referências que diversos filmes sobre espionagem já deixaram na sétima arte, aliás, eles vão além disso. A dupla consegue emular muito bem os estereótipos de tais produções tornando então sua história algo original dentro de narrativas semelhantes, logicamente sem deixar com que o humor e a paródia se percam em meio a tudo isso
Para isso, o design de produção opta por dar aos espaços, e aos personagens, formatos geométricos acentuados, que vão do rosto, corpo até mesmo os itens do cenário, tornando tudo cartunesco e ao mesmo tempo bonito de se assistir. Isso fica evidente na criação do quarteto de pombos, é interessante ver que as características de Lance são mantidas em sua forma de pássaro, como a gravata borboleta que vira uma mancha ou as sobrancelhas grossas. Da mesma forma, Amôre, Jeff e Zóio Doido, que formam o bando de pombos, tem suas peculiaridades bem destacadas, sejam através das cores, dos olhos ou das plumas, demonstrando um ótimo trabalho de animação.
Ao mesmo tempo, o ritmo da película é empolgante e cativante. Ao passo que o mistério vai se desenvolvendo você quer saber mais dos protagonistas, de como eles resolveram esse caso e principalmente do seu desenvolvimento. Logicamente isso tudo fica atrelado a comédia que consegue ir de Missão: Impossível à Kill Bill, de 007 à Jason Bourne, mostrando originalidade a cada piada!


Sabe como você percebe que é o melhor espião do mundo? Todos conhecem o nome.
O texto então procura quebrar com o velho estigma do espião que trabalha sozinho para salvar o mundo. Ainda que tenha mentes pensantes por detrás, lhe fazendo vários dispositivos. Logo, a dinâmica entre ciência e ação vai ganhando cada vez mais espaço à medida que a amizade de Lance e Walter começa a crescer. Um precisa voltar a forma devida, mas precisa entender que é necessário dar espaço para que os outros ajudem. O outro precisa encontrar seu lugar no mundo e principalmente entendendo que suas estranhezas podem ser úteis quando menos as pessoas ao redor esperam. 
Essa dicotomia presente na narrativa faz com que venhamos a ficar mais envolvidos com a história de cada um. E quando entendemos que os erros do espião o fizeram estar nessa encruzilhada toda, somente a esperteza menosprezada do jovem cientista será capaz de trazer todas as coisas para o rumo correto. Ou seja, é a clássica lição sobre aceitação, diferenças e amizades que encontramos nas animações, porém aqui, está por detrás do universo dos agentes secretos e vilões vingativos. E isso se encaixa perfeitamente tornando a produção uma das melhores paródias sobre o subgênero do cinema de ação dos últimos anos!
Ademais, o trabalho de dublagem (assistimos no idioma original) dos atores funciona assertivamente para a dinâmica das personagens, fazendo com que Will Smith faça piadas sensacionais, ainda melhores quando um pombo. Já Tom Holland, entrega inocência e deslumbre a cada novo acontecimento, um traço já marcante de suas atuações.

Um Espião Animal é uma aventura altamente recomendada para crianças e adultos! 
Há diversão, humor e aventura, além de inúmeras referências aos clássicos do cinema de espionagem em tela! Junte isso a uma direção que consegue criar boas sequências de ação, comédia, mesclando isso com um discurso sobre amizade e aceitação daquilo que é diferente, de uma maneira original e dinâmica.
Se a cada novo filme de 007 queremos saber qual será o vilão ou se realmente a jornada valerá o ingresso, aqui é diferente.  O espião é o melhor de todos e o seu cientista produz os dispositivos mais adequados para as missões, ou seja, o suficiente para desbancar o agente de vossa majestade.
Até porque o Bond não consegue virar um pombo! E isso se provou muito útil!

Nota: 4/5 (Ótimo)
Tecnologia do Blogger.