Uma Segunda Chance para Amar - CRÍTICA

Quem você presenteou no último Natal?



Natal, é época de reunir a família, os amigos, distribuir abraços e desejar o melhor possível para todos. Bem, alguns pensam assim. Já outros querem distância das comemorações, mas querendo ou não, ao menos uma produção de natal cinematográfica foi assistida em algum momento da vida. E no caso desta produção, a música se mistura a data tão celebrada para contar uma história sobre recomeço, jornada e razões para continuar vivendo.
E você? Presenteou alguém no último Natal?

Kate (Emilia Clarke de Game Of Thrones) é uma jovem que não tem muitos motivos para se importar com as coisas a sua volta. Ela trabalha em um aloja de adereços de Natal e aparentemente sua vida não carrega nada de interessante. Até o dia em que Tom surge no caminho, fazendo com que tudo ganhe um novo sentido, até mesmo, ajudando Kate a cantar novamente.

Paul Feig (Missão Madrinha de Casamento, Um Pequeno Favor) comanda produção dentro de um gênero que ele domina como ninguém, a comédia. Porém, usando bons elementos, ele transcende a comédia-romântica, principalmente as que se acontecem no Natal.
Se enquanto a Netflix entrega inúmeros genéricos sem qualquer emoção, aqui encontramos um clássico baseado uma das canções mais icônicas de George Michael, criado justamente para cativar até os que não são tão fãs do gênero!
O diretor usa de uma montagem assertiva para demonstrar os caminhos por onde sua protagonista já percorreu, intercalando com rápidos flashbacks de suas ações desastrosas. Ao mesmo tempo, o ritmo cômico-sentimental toma a conta da tela gerando uma credibilidade e proximidade com o espectador em diversos momentos, desde as sequências no abrigo de sem-teto até o dia a dia na loja de decoração natalina. Cada piada e acontecimento se tornam uma reflexão em tela sobre a época do ano, as escolhas da vida e a forma como se encara o que ocorre de maneira inesperada. Ao mesmo tempo, Feig busca fugir dos clichês natalinos, para isso, baseia sua obra no carisma de seus atores, tornando toda experiência composta por uma atmosfera otimista, acolhedora e real. Logicamente, com a trilha sonora que nos leva a cantar juntos!


No último Natal, eu te dei meu coração
Mas no dia seguinte
Você jogou fora
Este ano, para me salvar das lágrimas
Eu o darei para alguém especial

A narrativa por sua vez percorre a vida de Kate mostrando suas escolhas, o jeito de encarar o cotidiano e o distanciamento para com sua família. A história revela as atitudes de quem já não se importa com o que está a sua volta, apesar de ainda manter um sonho: Se tornar uma grande cantora! Contudo, nem isso é o suficiente para motivar a jovem.
Com a ambientação no natal, não é à toa que a produção queira trabalhar questões comoventes dos sentimentos que habitam o ser humano. E longe de seguir uma fórmula onde a protagonista aprende uma lição importante para valorizar tudo o que tem, esse processo vai sendo construído a cada nova experiência vivida por Kate ao lado de Tom. Tornando então a interação de ambos um dos trunfos da película! Desta forma, ao nos aproximarmos da conclusão da história, cada aspecto novo aprendido complementa ainda mais o texto escrito pela brilhante Emma Thompson, onde o roteiro entrega bons diálogos, momentos icônicos e principalmente, uma reviravolta que irá deixar aquele sentimento de surpresa, porém com um toque aceitável para tudo o que construído desde o início do filme.
Fugindo então de ser mais uma "comédia romântica no natal", Uma Segunda Chance para Amar agrega ainda as canções de George Michael, que auxiliam para que a história seja contada de maneira a contextualizar o período do ano, os sentimentos das pessoas e criar os vínculos necessários para que uma boa narrativa tome a forma de um novo clássico de natal!

Uma Segunda Chance para Amar é um título nada correto para uma produção tão boa como essa! Com uma história cativante, que emociona, fazendo rir e chorar, além de uma trilha sonora que ficará na mente dos espectadores, a película se torna um clássico instantâneo para uma data tão importante no calendário de muitas pessoas. Realizado pelo mestre das comédias Paul Feig, a boa direção atrelada ao carisma dos atores, entrega uma experiência otimista, agradável e sonora que captura a empatia, conseguindo descongelar até os mais frios dos corações.
Se por conta do último natal, você resolveu dar os seus sentimentos para uma pessoa especial, essa história nos revela que muitas vezes é necessário aprender primeiro a receber aquilo que a vida tem a oferecer, seja na forma de um abraço, um presente ou uma canção que se torna ainda mais importante quando se canta com o coração!

Nota: 4/5 (Ótimo)
Tecnologia do Blogger.