Reunião de Família - REVIEW

A arte de nos fazer rir e pensar


Comédias familiares são famosas na televisão. 
Se pararmos para pensar, 'Eu, a Patroa e as Crianças', que até hoje entra em modo "reprise" em alguns canais, se tornou uma dessas produções simples que marcaram uma geração levando ao riso por conta dos momentos absurdos. 
Seguindo uma linha muito parecida, Reunião de Família, nova produção da Netflix, chega com sua primeira parte também trazendo os elementos de comédia, mas com um foco diferente, ao falar de assuntos que estão em evidência de um jeito didático, porém com muita eficácia para aquele que ainda não entendeu muito bem.

A família McKellan viaja até estado da Georgia para participar da tradicional reunião de família, mas o que eles não esperavam era o acolhimento e o ambienta que os leva a mudar de Seattle, para a cidadezinha em que estão. Mas adaptação não será fácil e eles irão entrar em diversos momentos conflituosos até que entendam como são as coisas no Sul dos Estados Unidos.

Criada Meg DeLoatch, a série tem foco nos conflitos entre gerações, nos aspectos raciais, de gênero e em questões religiosas. Tudo isso, tendo como protagonista uma família negra, que tem o pai como um atleta de sucesso, que já ganhou o Superbowl.
Falando desta forma, parece que o texto é muito simplório e até clichê, entretanto, a Netflix tem usado esse estilo de produção justamente para tocar em assuntos que outras produções com maior orçamento ainda não abriram espaço.
Os questionamentos raciais começam diretamente com a família, onde a filha mais velha não possui o mesmo tom de pele que os irmãos, reverberando em um episódio que nitidamente critica a indústria que procura se apropriar da cultura negra, pessoas que fazem BlackFace e até mesmo o papel da mulher dentro da sociedade. 
Ao mesmo tempo, a religiosidade é um dos pontos contrariados diversas vezes, já que os avós são líderes de uma igreja local, rendendo assim sequências onde se chega ao entendimento sobre a verdade não ser absoluta. Ademais, a posição do homem na sociedade, a masculinidade exacerbada e os discursos machistas são colocados em questionamento, abrindo espaço também para que a narrativa demonstre o tratamento que as pessoas negras recebem nos Estados Unidos, em um dos momentos que certamente deixará o espectador pensativo e muito assustado.


Por mais que o humor não carregue piadas altamente elaboradas e o som da claque facilite um pouco para que venhamos a soltar um riso, a série se faz uma produção relevante, principalmente por ir além dos simples esteriótipos estabelecidos pela cultura pop ao longo dos anos em personagens negros. Em certos momentos, o casal principal poderá até lembrar Michael e Jay Kyle, entretanto, há personalidade e individualismo que ultrapassa a berreira da comparação racial. Moz e Cocoa são pais próximos, preocupados e tentando entender principalmente o mundo em que seus filhos estão começando a trilhar suas jornadas, ao mesmo tempo que descobrem, as vezes por experiência própria, que nada é tão fácil ou simples na Georgia.
O dilemas, problemas e novos rumos que aos poucos vão sendo acrescentados constroem de uma forma divertida a história, e quanto os episódios parecem seguir sempre a mesma dinâmica de "conflito e solução", chegamos a um momento onde parte da história norte-americana é contada, com foco no povo negro e o legado da família McKellan, um dos pontos altos da série.
Falando em ponto alto, Loretta Devine, a M'Dear, matriarca da família, é quem rouba cena em todos os episódios. O jeito sincero, direto, cheio de rigidez e amor ao se apresentar nas situações, garante não apenas as risadas, mas a dinâmica entre juventude e maturidade, que é um dos aspectos principais da trama.

Reunião de Família é uma produção que aparenta ser clichê e carregada de uma narrativa já vista, mas com sua simplicidade e dinamismo, aborda temas que são necessários de serem discutidos, analisados e compreendidos. Com uma duração assertiva e dez episódios iniciais nessa primeira parte, a série é um acréscimo divertido ao catálogo de streaming, para que ao mesmo tempo que esteja fazendo o espectador rir, sua consciência possa pensar na sociedade, nas pessoas que fazem parte e naquilo que é considerado "a verdade".  Novamente, Netflix usa de um texto descomplicado para criar um sucesso sem muito alarde.
Em tempos onde agentes, sereias, heróis, trazem a representatividade necessária para muitos, esta obra também encontra espaço nesse hall, com o discurso correto, expondo o que as megaproduções não mostram, e demonstrando que uma reunião de família pode ser capaz de mudar a vida de todos. 
E esse último aspecto é um fato inegável!

A primeira parte de Reunião de Família já está disponível na Netflix.
Tecnologia do Blogger.