Ru Paul's Drag Race - ESPECIAL

A Categoria é: Elegância, extravagância e Drags, tod@s nós


Um reality show é formado por elementos clássicos: pessoas em busca de um prêmio, provas que os desafiam, intrigas entre os participantes e um apresentador famoso. Mas nesta corrida você precisa ir além, para chegar no prêmio será necessário em algum momento usar seu talento pela sua vida ou legado, os desafios farão com que você atue, cante, demonstre as habilidades que possui, as fofocas serão mais intensas e até mesmo perigosas, com direito a um drink pra ajudar e o apresentador, bem, Mama Ru é quem decide se você fica ou vai! Então, não ferre tudo!

E com vocês a Drag Mãe, RuPaul!

Criado em 2009, Ru Paul's Drag Race é um programa de televisão que tem como objetivo encontrar em suas competidoras "carisma, singularidade, coragem e talento", para então consagrar uma, ao final da temporada como a "America's Next Drag Superstar", com direito a coroa, cetro e um prêmio de 100 mil dólares. Para isso, as competidoras deverão demonstrar do que são capazes em provas de atuação, dança, canto, além dos seus look's semanais estarem de acordo com a proposta do desafio da semana, ou seja, não basta ser bonita, é necessário ir além de uma boa maquiagem. No total já são onze temporadas do programa principal, quatro do spin-off All Stars, além de uma versão britânica e uma tailandesa. 
Desde sua primeira temporada, conhecida como a Lost Season de Ru Paul (Por conta do baixo orçamento), o programa tem sido um sucesso demonstrando originalidade e principalmente, colocando em pauta o universo drag queen na televisão dos Estados Unidos. Essa cultura da comunidade LGBTQI+, que muitas vezes foi "demonizada" pela sociedade, agora ganhava um espaço só seu em uma grande mídia, apresentado por uma figura que fez sucesso sendo uma "mãe" para muitos que ainda não haviam encontrado o seu caminho.
RuPaul Charles pode ser considerada a drag queen mais conhecida do mundo, a personalidade drag do mesmo, RuPaul, por alguns chamada de Mama Ru, exibe todo o glamour e extravagância que uma verdadeira diva possui. 
O apresentador começou sua carreira no entretenimento na década de 80 nos Estados Unidos, no Celebrity Club e no início dos anos noventa alcançou sucesso lançando o álbum "Supermodel of the World", tendo suas músicas no topo da Billboard. Logo a popularidade altíssima, fez com que RuPaul assinasse com a marca de cosméticos MAC para ser sua garota propaganda, fazendo dela a primeira supermodelo drag queen. Além disso, é ator, autor, modelo, sendo que já atuou em produções de Spike Lee e logicamente, não podemos esquecer sua participação no clássico “Para: Wong Foo, obrigado por tudo! Julie Newmar”. Ainda na década de noventa, ganhou seu próprio talk show, onde entrevistou inúmeras celebridades e desde 2008 é responsável pela competição de Drags mais famosa do mundo.


Aqueçam os seus motores e que a melhor drag, vença!

Talvez soe estranho esse tipo de competição para muitas pessoas: Um concurso onde drag queens disputam quem é a melhor! Sim, por que não?! Por mais que as temporadas sigam o mesmo mote estabelecido pelas regras, as narrativas seguem linhas diferentes, isso se dá por conta da escolha do elenco que tenta, em sua maioria, ser diversificado ao máximo.
Das drags mais caricatas, as conectadas em redes sociais e as aspirantes a divas, todos precisam passar pelos mesmos testes: O Mini-Desafio, que define equipes e dá uma certa vantagem há alguma competidora caso vença, o Desafio Principal, onde através de música, atuação, dança, a elaboração de um look ou a transformação de alguém são colocadas em jogo e por fim, o Desfile.
No palco de Drag Race, as Queens precisam apresentar o Look que faça sentido com a proposta da semana, e quando temos, o desafio principal é transmitido para que os jurados então critiquem os itens necessários e então saibamos que será "Top" ou "Bottom", ou seja, quem se saiu bem e quem está em risco de eliminação.
Desta forma, parte de RuPaul escolher quem se salva e quem vence a competição da semana, com direito a um prêmio para a aquela que melhor se saiu. E por fim, as duas piores deverão se enfrentar na tão conhecida batalha de dublagem, ou melhor dizendo: "The time has come for you to lip-sync for... your... life.." e como último aviso, RuPaul sempre diz para não "ferrarem tudo"!
Neste momento o programa se torna o palco de um grande show das drags, como nas conhecidas casas noturnas, luzes, músicas e a passarela ganham vida, dando espaço para que a dupla de concorrentes faça o que sabe de melhor, performar. Desde os movimentos de Vogue, piruetas e o tão conhecido Death Drop, tudo passa pelos olhos de Mama Ru que enfim pode escolher.
Para aquela que permanece, a frase "Shantay, You Stay" faz com que sua permanência no programa dure mais uma semana, já a queen que infelizmente perde, "Sashay Away", confirma sua eliminação da competição.


As Últimas Temporadas

Ru Paul's Drag Race: All Stars 4 - O All Stars é o retorno daquelas Queens que não ganharam suas temporadas respectivas, uma segunda chance de impressionar RuPaul, mas desta vez, elas dublam pelo seu Legado. Nesta quarta temporada, tivemos duas vencedoras: Trinity The Tuck e Monet X Change, o que gerou uma polêmica entre os espectadores pois para muitos, coroar duas rainhas foi uma forma de compensação de RuPaul, por conta de alguns comentários feitos pela mesma. 
Nessa temporada tivemos a participação de: Monique Heart, Naomi Smalls, Jasmine Masters, Farrah Moan, Gia Gunn, Valentina, Manila Luzon  e Latrice Royale.


Ru Paul's Drag Race: Temporada 11 - Após uma temporada 10 morna, coroando uma queen não tão aclamada assim, desta vez a competição retornou apostando no show.
Com um número maior de desafios que tiravam as competidoras da zona de conforto, além de entreter o público, este novo ano foi uma espécie de "recompensa" para quem teve que aturar a estranha final de All Stars 4 e Aquaria como rainha em 2018. 
Desta vez, a queen vencedora foi Yvie Oddly, conhecida pela estranheza de suas performances e montagem! 
Participaram desta temporada: Soju, Kahanna Montrese, Honey Davenport, Mercedes Iman Diamond, Ariel Versace, Scarlet Envy,  Ra'Jah O'Hara, Plastique Tiara, Shuga Cain, Nina West e Vanessa Vanjie Mateo (que retornou após ser a primeira eliminada da temporada 10).



Muito além de uma competição

Há quem diga que Drag Race está datado e a forma como lida com determinadas situações da comunidade LGBTQI+ ainda está longe de ser o ideal. Em alguns quesitos até possível concordar com essa afirmação, mas se tratando de um programa feito por pessoas que não são as que atualmente deveriam aparecer na televisão com grande audiência, a produção consegue quebrar o paradigma do preconceito e da homofobia. É interessante ressaltar que as edições foram ganhando cada vez mais cara de programa com uma narrativa, ainda que se tratava de reality show, tanto que na última temporada, em seu episódio final, RuPaul fez questão de lembrar dos movimentos sociais em favor dos direitos da comunidade LGBTQI+, além de ressaltar que esta é uma série feita pelas mãos de pessoas que estão inseridas na comunidade.
Polêmicas a parte, o valor que Ru Paul's Drag Race possui é justamente aquele de conquistar um espaço para dar voz a muitas pessoas que ainda não tiveram oportunidade de deixar claro quem são, devido as imposições que vivenciaram durante a sua jornada. Nisso é possível encontrar emoção quando uma queen conta sobre sua infância debaixo de repressão, ou aquela que não pode manifestar sua religião devido a relação das pessoas fazerem com terrorismo, ou aquela que viu os amigos morrerem em um atentado contra pessoas gay. Drag Race, da sua maneira, vai trazendo ao topo histórias que não pode ser silenciadas, escondidas, precisam ser reveladas, seja através de uma conversa no atelier ou ao final do desfile principal. Sendo assim, um programa que consegue colocar Drag Queens deslumbrantes em tela, apresentado por uma drag negra, precisa ser respeitado como um ícone que ainda resiste há inúmeras tentativas de silenciar a expressão de quem sempre viveu a margem do padrão imposto.

Ru Paul's Drag Race é um show capaz de emocionar, entreter e levar o espectador a raiva por conta das decisões tomadas por Mama Ru. 
Ao mesmo tempo, com o passar dos anos, a produção tem entendido o seu valor representativo, principalmente ocupando um espaço na televisão onde histórias de superação contra o preconceito tem sido reveladas para um grande público. Ainda falta um caminho para percorrer e certamente, os anos de Drag Race ainda serão muitos, pois não há como retirar a carga cultural, de referência e glamour que o reality conquistou, sem contar nos fãs espalhados por todo mundo.
Podemos considerar RuPaul então a rainha drag e seu reino se estende a cada nova temporada deixando lições que vão desde o amor próprio (Será que eu posso ouvir um amém?) à que todo mundo nasce sem nada, nu, e o resto, realmente é drag!
E para você que chegou até aqui, só podemos dizer: Shantay, You Stay!
Tecnologia do Blogger.