Tudo começou em 2012 - ESPECIAL VINGADORES

"Se não pudermos proteger a terra, com certeza vamos vingá-la."



O primeiro grande encontro dos maiores heróis da Terra diz muito do que viria nos próximos anos do Universo Marvel do Cinema. Não apenas o tom cômico e a aventura que seria capaz de unir ainda mais aqueles protegeriam a todos nós das piores ameaças. A forma como o primeiro filme dos Vingadores se constrói é uma verdadeira aula de fundamentação de equipe de personagens, desta forma, o que vemos atualmente é um resultado dessa brilhante união que ocorreu na batalha de Nova York. Tudo começou em 2012, se fundamentou em 2015 e desmantelou em 2018.
Vamos então hoje percorrer esse caminho!

The Avengers - Os Vingadores


Quando o Tesseract foi ativado trazendo Loki até a Terra, Nick Fury se viu obrigado a unir os heróis que ele já conhecia. Mal sabendo que o deus da mentira traria consigo um exército de alienígenas que causaria uma grande batalha contra os Vingadores. Logo, as consequências desse combate iriam se estender nos próximos oito anos de Universo Marvel, tanto nas séries, quanto no cinema. Além disso, neste único filme temos contato com duas jóias do infinito, do espaço e da mente, além de um vislumbre de Thanos.
Dirigido por Joss Whedon, a produção consegue emular muito do que os quadrinhos já nos apresentava do relacionamento entre os heróis. Os conflitos iniciais, as personalidades distintas e bem expostas, as animosidades, o individualismo de alguns e o compromisso pelo coletivo de outros. O diretor conseguiu então estabelecer pela primeira vez no cinema o que muito se via na nona arte: heróis trabalhando em equipe em prol de uma missão em comum.
As sequências de ação, colocadas de forma para que as habilidades e os poderes de cada fossem bem aproveitados em tela, são um dos grandes atrativos do que Whedon realiza aqui, além de utilizar o posicionamento das câmeras de uma maneira tradicional dos cinema de ação, com bastante foco nas expressões durante os combates e deixando o espectador a par de tudo o ocorre no mesmo momento.
O que perceptível então é que do início triunfante combatendo o exército Chitauri foi um meio pelo qual a equipe conquistou confiança, para suas ações e para os membros interagirem entre si. 
Mas se pudermos analisar algo que realmente serviu para abrir caminho para os arcos mais derradeiros do futuro cinematográfico Marvel, isto sim é a narrativa focada na construção dos personagens. Aqui tivemos a apresentação de um "novo" Bruce Banner, desta vez, abraçando os traços conhecidos do medo, da preocupação com o Hulk, porém, principalmente a genialidade ao enfrentar os perigos propostos. Com o Capitão América a alcunha de líder se achega de forma certeira, temos então os dilemas do passado ficando de lado, até mesmo ajudando a compreender o presente o qual enfrenta, de tal modo, Steve passa a ocupar o lugar que lhe é devido na equipe.
Ainda sem encontrar o tom certo, Thor é o que menos consegue um passo ao crescimento adequado de sua persona, que pontualmente, ganha instantes interessantes aqui que ajudam no decorrer da trama. Já Tony Stark, já estabelecido como gênio, bilionário, playboy e filantropo, começa a construir sua animosidade com o Capitão América, além de puxar para si certas responsabilidades que irão atormenta-lo até seu encontro com Thanos.

Vingadores - Era de Ultron



As características estabelecidas no primeiro grande encontro dos heróis ganham novas nuances em Era de Ultron de 2015, também dirigido por Joss Whedon.
Apesar do exagero nas cenas de ação e várias mudanças que aconteceram devido vazamento de informações, desta vez, os Vingadores estão destruindo as últimas bases da Hidra existentes. Nisso recuperam não só o cetro que Loki usou em sua invasão, mas descobriram que os experimentos realizados pela organização deu origem a dois novos super seres, os irmãos Wanda e Pietro.
Porém, ao vasculhar a tecnologia inimiga e analisar o poder que havia no centro, Tony descobre uma forma de criar uma inteligência artificial que seria aliada na defesa da terra contra possíveis inimigos. Logo Ultron é criado, mas o mesmo, acaba tendo suas próprias ambições, se voltando contra seus criadores e toda equipe de heróis.
Se na primeira reunião a equipe ainda estava descobrindo como trabalhar em união, aqui fica nítido o quanto há uma evolução nesse ponto. Para isso, o diretor explora inúmeras cenas de cooperação entre os personagens, principalmente a sequência inicial que pode ser considerada uma das aberturas melhor coreografada de Vingadores. Além disso, o conflito existente entre criador e criatura se faz presente em todo tempo, nos diálogos, nas expressões e principalmente nos dilemas apresentados a Tony Stark.
Tal personagem que aumenta ainda mais a linha de conflito com o Capitão América, o que resulta nos acontecimentos de Guerra Civil e o Tratado de Sokovia. É interessante citar este como literalmente um filme de transição, um ponte para o que aconteceria a seguir na próxima fase, já que as citações a Wakanda, a formação de uma nova equipe Vingadores (Capitão América, Viúva Negra, Falcão, Visão, Máquina de Combate e Feiticeira Escarlate) são importantes para a continuidade narrativa desses grandes eventos Marvel no cinema!

Vingadores - Guerra Infinita



Se em 2012 o primeiro encontro dos heróis foi um triunfo e em 2015, sua segunda aventura resultou em consequências diretas para todos os personagens, aqui temos o culminar de dez anos de Marvel no cinema, onde o foco principal está na busca pelas Jóias do Infinito, o combate contra Thanos e o reencontro desses heróis.
Até aqui os fatos ocorridos em Guerra Civil serviram para separar a equipe, ao mesmo tempo que Asgard foi destruída no Ragnarok e Wakanda veio ao conhecimento do restante do mundo. Logicamente novos combatentes foram acrescentados a essa jornada: Homem-Aranha, Doutor Estranho, Homem-Formiga, Pantera Negra, Guardiões da Galáxia, Vespa, estão entre os principais novos Vingadores (Não esqueci da Capitã Marvel, apesar de que, se seguirmos a cronologia Marvel do Cinema, ela já apareceu, ao menos pro Nick Fury).
Assim, finalmente o Titã louco começa sua busca pelas jóias do infinito, o que acaba causando a morte de Gamora, pela obtenção da joia da alma, a morte do visão, por estar com a joia da mente, Zendar foi dizimada por abrigar a joia do poder, Loki acaba morrendo ao tentar ludibriar Thanos e estar em posse da joia do espaço, a joia da realidade é tirada das mãos do colecionador, e como jogada final, o Doutro Estranho entrega a joia do tempo.
Vingadores dessa vez estão parte no espaço, parte na terra, mais precisamente em Wakanda, protagonizando um conflito épico!
Desta vez Anthony Russo e Joe Russo comandam a produção que novamente elava a qualidade das produções baseadas em histórias em quadrinhos. Dividindo os personagens em núcleos estruturados de forma exímia, fazendo com que piadas e acontecimentos façam sentido para a narrativa ganhar forma, os diretores estabelecem aqui um filme onde as consequências serão sentidas nos próximos anos que a Casa das Ideias ainda permanecer no cinema.
E por mais que tenhamos novos heróis, com poderes diferenciados, ninguém esperava o que poderia acontecer. Num estalar de dedos, em um movimento não certeiro de Thor, metade do universo simplesmente deixa de existir. A vontade de Thanos é realizada!
O que resta aos heróis é juntar os feridos que sobraram, reagrupar com os que podem lutar e tentar pensar no que fazer a partir disso. Os Vingadores então perderam, não apenas um combate em uma cidade ou a luta contra um exército androide, mas a vida conhecida, acaba de ser reduzida pela metade. O resultado de um conflito que eles jamais iriam mensurar!

Tudo começou então em 2012! Eram apenas seis heróis, um gigante esmeralda, um soldado de outra época, uma agente secreta altamente letal, o "Légolas", o "cara do raio" e um playboy com uma armadura tecnológica.
Se em 2008 o sonho desse universo cinema começou a tomar forma, são nestes grandes eventos que tivemos a oportunidade de conhecer um pouco mais do trabalho em equipe desses seres incríveis que por anos apenas ocuparam as páginas dos quadrinhos.
De um portal aberto nos céus à um estalar de dedos, jamais houve tamanha expectativa por uma jornada cinematográfica. Caminhos até aqui foram traçados, agências foram desmanteladas, mundos foram destruídos, guerras aconteceram, fugas foram necessárias, heróis morreram, mas a certeza de algo jamais foi tão impactante é o que nos levará aos cinemas. Há uma dita em uma frase que marcou o início das missões dos Vingadores: "Se não pudermos proteger a terra, com certeza vamos vingá-la.".
Esta é a nossa esperança!

Dia 25/04 chega aos cinemas Vingadores: Ultimato, e na quinta-feira, já teremos crítica em nosso site! Não perca!
Tecnologia do Blogger.