Ads Top

Review: Romance is a Bônus Book

 Muito mais que um clichê romântico


Annyeonghaseyo, pessoas!

Hoje vamos falar de Romance is a Bônus Book o mais recente e queridinho dorama produzido pela Netflix. Preparem a pipoca e se aconcheguem no sofá porque o post de hoje promete!

É muito comum, principalmente entre os novos fãs das famosas “novelinhas coreanas” buscar conhecer mais a respeito do elenco que protagoniza determinada produção. Então, antes de falarmos da trama em si, que tal conhecermos os rostos por trás de cada personagem?

ELENCO PRINCIPAL

LEE JONG-SUK (이종석)

É um ator e modelo sul-coreano bastante conhecido por atuar em produções como School 2013 (2012), I Can Hear Your Voice (2013), Doctor Stranger (2014), Pinocchio (2014), W (2016), Enquanto Você Dormia (2017), The Hymn of Death (2018) e recentemente Romance is a Bônus Book (2019) onde ele interpreta Cha Eun-ho, escritor e editor chefe de uma editora  – este foi o último trabalho de Jong-suk antes de ir para o serviço militar obrigatório.

LEE NA-YOUNG (이나영)

É uma atriz sul-coreana conhecida por atuar em produções como Ruler of Your Own World (2002), Ireland (2004), Someone Special (2004), Maundy Thursday (2006). Além de atuar Na-young também é um rosto bastante conhecido no ramo publicitário, participando de inúmeros comerciais e campanhas. Ela interpreta Kang Da-in, uma publicitária em busca de emprego após muitos anos fora do mercado  - e nossa super protagonista -.

JUNG YOO-JIN (JUNG EUGENE)

A atriz e modelo atualmente agenciada pela FNC Entertainment começou sua carreira como modelo da YG Entertaiment, uma das grandes empresas de agenciamento de idols da Coréia do Sul. Muito conhecida por atuar em produções como Heard It Through the Grapevine (2015), Moorin School (2016) e W (2016). Ela interpreta Song Hae-rin, uma jovem editora-chefe de desenvolvimento de conteúdo.


WI HA-JOON (위하준)

O ator e modelo sul-coreano de 27 anos ganhou destaque atuando em filmes de terror como Gonjiam: Haunted Asylum (2018) e em séries românticas como Something in the Rain (2018) que também está disponível na plataforma da Netflix. Ele interpreta o designer de livros freelancer Ji Seo-joon.

SOMOS COMO LIVROS, ESPERAMOS QUE ALGUÉM NOS ENCONTRE E ABRA PARA VER O QUE HÁ DENTRO

Apresentações devidamente feitas, vamos ao que interessa: Romance is a Bônus Book. Confesso que estive animada para assistir esse dorama desde o dia de seu lançamento, mas a agonia de ter que assistir um episódio por vez e esperar até que um novo fosse liberado, fez com que eu controlasse a minha ansiedade até que todos os episódios finalmente estivessem disponíveis para que eu os assistisse sem pausas. 

Durante o tempo que fiquei aguardando, ouvi muitos comentários e li muitas coisas a respeito dessa produção – claro que, desviando sempre dos spoilers - uma das matérias que li pouco antes de começar minha aventura pelos 16 episódios – e o estopim para a minha curiosidade - foi que seu último episódio havia alcançado as maiores avaliações de audiência. Então não perdi mais tempo: aproveitei o fim de semana para assistir e enfim tirar minhas conclusões.

 Mas do que trata a história de Romance is a Bônus Book? Se pelo título você já imaginou alguma história romântica, fofinha e cheia de frufrus, eu sinto desapontá-lo, mas o romance é a última coisa em foco por aqui. Existem questões muito maiores que estão sendo abordadas de formas sutis e ao mesmo tempo muito claras.



Essa é a história de Kang Dan-i, uma publicitária perto dos 40 anos de idade, divorciada, com uma filha para criar e sem emprego, lutando diariamente para voltar ao mercado de trabalho e restaurar a sua dignidade. Acredite em mim, é o tipo de história que á primeira vista parece clichê, mas não é, e vai fazer com que você se sinta numa verdadeira montanha russa de emoções: indo da alegria à tristeza ou da raiva à empatia em poucos segundos.

REPRESENTATIVIDADE

O que mais me chamou a atenção neste dorama é que, apesar do título, o romance aqui é uma tela em segundo plano. A ideia é dar destaque à representatividade feminina, colocando a protagonista como o retrato da mulher que mata dois leões por dia para sobreviver no mercado de trabalho, um ambiente em que durante muito tempo tivemos figuras majoritariamente masculinas no controle.

Dan-i foi uma publicitária competente e premiada durante os anos de faculdade, mas precisou afastar-se de suas funções por sete anos para cuidar da família – esposo e filha – embora tenha sido uma escolha pessoal, essa foi uma decisão que afetaria sua vida profissional completamente, pois como sabemos o mercado está sempre mudando e exigindo mais das pessoas a cada dia, e com uma pausa de sete anos no currículo, Da-In é considerada uma profissional ultrapassada pelos avaliadores dos processos seletivos pelos quais passou.

Infelizmente, essa é a realidade de muitas mulheres não apenas na Coréia, mas no mundo todo. Muitas abandonam seus sonhos profissionais para se dedicarem à família, algumas vivem bem com isso, outras passam por coisas inimagináveis, e quando tentam retomar são descartadas pelo mercado, por fatores como a idade, por estarem ultrapassadas, entre outras mil e uma coisas.
Mas, como dizem: a necessidade faz o gato pular não é mesmo? E muitas vezes faz com que tomemos medidas extremas, assim foi com a nossa protagonista, que omite seu grau de escolaridade para concorrer a uma vaga temporária na editora Gyeoroo. E é aqui que a história da nossa heroína realmente começa!




SORORIDADE

Através das personagens Song Hae-Rin (Jung Eugene), Go Yoo-Sun (Kim Yoo Mi), Seo Young-Ah (Kim Sun Young) e Oh Ji Yeol (Park Gyu Young) – as principais funcionárias da editora Gyeoroo – a história trabalhou não apenas questões comuns que ocorrem no mercado de trabalho, mas também os dilemas pessoais de cada uma.

Vale o destaque para Hae-rin e Ji Yeol que mostraram um desenvolvimento surpreendente no desenrolar da trama e acabaram cativando um lugar no coraçãozinho dessa pessoinha que vos escreve.



MISTÉRIO

Como em qualquer boa história, um toque de mistério é sempre bom para trazer aquele suspense e nos deixar querendo mais não é mesmo?  Aqui essa responsabilidade fica por conta de Seo-joon – o nosso designer de livros, personagem interpretado pelo ator Wi Ha-joon.

NARRATIVA CONSTRUÍDA EM TORNO DO UNIVERSO LITERÁRIO

Eis aqui outro motivo pelo qual eu me derreti completamente por este dorama: ele teve sua história e narrativas construídas com base no universo literário! Desde os primeiros segundos da abertura, aos créditos finais dos episódios, a sensação que se tem é de estar folheando um livro. E essa característica também se faz muito presente na ambientação dos cenários, nos figurinos e em todo o resto. É incrivelmente lindo de ver.


O BÔNUS

Se lembram de quando eu disse lá no comecinho do texto que romance é a última coisa a qual conseguimos perceber nesse dorama? Pois é. Ele existe sim, mas é construído pouco a pouco, de maneira leve e sutil, quase como um presente para a protagonista – e para o telespectador –, depois de comer o pão que o diabo amassou e passar por todos os perrengues sem “deixar a peteca cair” a nossa Dan-i merecia viver o seu conto de fadas não é mesmo? E que conto de fadas!



Se precisavam de uma lista com motivos para assistir, acho que os meus foram mais que suficientes, não é? Tem muito mais que eu gostaria de poder contar, mas aí tiraria toda a graça :)

Onde assistir onlineesse é o meu bônus para quem se interessou, mas não tem conta na Netflix
Kingdom Fansub | Seu Dorama (obs: para assistir no kingdom precisa criar um cadastro e fazer login)
Tecnologia do Blogger.