Review: Guava Island

Um filme de Childish Gambino! Preciso dizer mais?


Que Childish Gambino é um dos grandes nomes da música nos últimos anos, isso não é dúvida para ninguém. A persona sonora de Donald Glover é icônico por suas apresentações, letras e melodias que empregam muito da sua vivência. Como ator, Atlanta é com certeza uma das comédias mais inteligentes e bem executadas que podemos encontrar na televisão, ou seja, temos um ator completo em diversas áreas da arte. E agora, com a estreia de Guava Island, direto na plataforma Amazon Prime, Glover alcança um patamar ainda maior, daqueles que sabe contar uma boa história, com um tempo certo para que o espectador queiram muito mais daquela jornada musical.

Deni Marron mora em Guava Island, junto de sua namorada Kofi, um local famoso por produzir a seda azul. Porém, essa ilha que antes era um lugar incrível, hoje vive sob o controle de Red Cargo, um magnata que comanda todo o local, fazendo que todos trabalhem pra ele, praticamente sem descanso algum. E quando Deni tem a ideia de criar um festival para que o povo se lembre do que é bom e celebre a liberdade, poderá colocar em perigo sua vida e tudo o que acredita.

Hiro Murai é quem comanda a produção que não chega a ter 60 minutos de duração!
O diretor, conhecido de outros trabalhos de Donald Glover, como o clipe de This Is America, sabe o que extrair do seu protagonista e da história escrita por Stephen Glover. Procurando utilizar planos ora subjetivos, ora abertos, vamos entendendo que a ilha inteira é viva, apesar dos dias difíceis que enfrenta. Nisso, vamos acompanhando a rotina de trabalho, o ir e vir das docas, fábricas e da população que mora nos lugares mais pobres. Utilizando bem a influência declarada de "Cidade de Deus", a câmera passeia por entre becos, ruas, vielas, telhados, para deixar ainda mais imersivo a experiência que Guava pode nos entregar. Apresentando também uma fotografia belíssima, primeiramente utilizando um granulado para aparentar uma produção de outra época, logo, as cores são um elemento constante, o azul principalmente, ganha diferentes tons representando diversos sentimentos que são apresentados durante o filme.
Ao mesmo tempo, seu protagonista é como um grande menestrel que serve para trazer um pouco de distanciamento dos problemas cotidianos. Desta forma, o diretor escolhe encaixar sequências musicais que fazem o papel de complementar os fatos da narrativa, o que eleva a importância de alguns momentos, vide quando Deni canta a já citada, This is America nas docas.


Assim, outro grande trunfo de Guava Island está em sua narrativa!
A jornada do protagonista é rica em metáforas e detalhes que vão além do que possa parecer. 
Desde as atitudes de cantoria, até sua forma de falar, pensar, agir, as letras de suas canções, tudo é contrário ao sistema imposto de anos naquele pequeno local. E diferente de qualquer outro personagem, seu pensamento se encontra no coletivo, no que as pessoas podem vivenciar, o que elas podem almejar, o que elas realmente precisam (Uma das perguntas feitas por Deni a Red). Em contrapartida é perceptível a crítica político-social ao modo de viver por trabalhar, o quanto somos observados e contidos por conta de regras estabelecidas antes mesmo do nosso nascimento (Vários cartazes espalhados indicam a vigilância constante do grande comandante da ilha). Isso faz com que a música se torne um elemento libertador no decorrer do roteiro, como um instante onde se pode simplesmente acompanhar uma melodia pelo simples sentimento fuga e lembrança do que realmente é importante.

Guava Island é uma celebração musical do que realmente importa, a vida!
Quando Deni sobe ao palco em seu festival somos levados por sua música, o azul das roupas dos espectadores se tornam como um mar de possibilidades onde a esperança se torna a principal motivação para continuar uma jornada que muitas vezes pode acabar de maneira inesperada.
Com uma direção exímia e uma fotografia pra lá de competente, temos um clássico fora de qualquer rota de grandes premiações, é aquela produção que ganha espaço em nosso coração recebendo as melhores lembranças quando o título for mencionado.
E assim como a personagem de Rihanna fala, podemos citar a mesma frase com emoção ao final da película: "Nós finalmente ganhamos o nosso dia!"

Assista Guava Island na Amazon Prime!
Tecnologia do Blogger.