A Importância da Capitã Marvel


Dificilmente um homem vai entender a importância desse filme...



...Eles podem conseguir (não sem algum esforço) "empatizar" com a situação, mas ninguém que tenha crescido em um mundo onde tudo é pensado pra si, vai compreender de verdade o que é finalmente se ver numa tela de cinema, num filme de super-herói. 
Não como sidekicker, não como personagem secundária, porém como protagonista. Como personagem central da trama, em torno de quem o filme inteiro gira. 

E eu sinceramente não sei se serei capaz de traduzir isso em palavras!

Você pode argumentar (com razão) que antes de Capitã Marvel, tivemos Mulher-Maravilha. 

E tivemos mesmo. Foi ótimo (com exceção daquele terceiro ato medonho a respeito do qual vamos conversar qualquer dia desses). Ver Diana atravessar a “no man’s land” (cheguei a arrepiar!) foi memorável, mas falaremos da princesa amazona em outra oportunidade. 

Hoje, eu quero falar de Capitã Marvel. 
Eu quero contar pra você o quão feliz eu estou por esse filme existir, o quão maravilhoso é saber que as meninas das próximas gerações vão crescer se vendo no telão e encontrando action figures (que na minha época a gente chamava de “hominho”) das suas heroínas favoritas. 
E sobre o tamanho da vitória que esse filme representa pra nós mulheres!

Fomos reconhecidas como público, finalmente.

A despeito dos protestos e boicotes que a comunidade nerd (ou a parte masculina dela) infligiu a essa obra, o filme sobreviveu. Teve reclamação sobre o tamanho da bunda da atriz principal, teve  gente enchendo de saco porque a personagem estava coberta demais, teve (pasme) reclamação sobre o fato de a atriz não estar sorrido suficiente nos trailers e pôsteres de divulgação. 
Essa última parte gerou uma série de montagens engraçadas nas quais sorrisos eram inseridos nos rostos de outros heróis da Marvel. Porque é "ok", posar sério pro pôster de um filme se você for homem, mas aparentemente se você for mulher, vai precisar sorrir!


Para finalizar o atos bizarrice, pessoas (homens, obviamente) deram notas baixíssimas pra essa produção antes mesmo de sua estreia, única e exclusivamente porque a Brie Larson, que interpreta a personagem título, exigiu maior representatividade durante a tour pra promover a obra.

Eu poderia passar horas te dizendo o que eu penso de pessoas que dão chilique quando descobrem que o mundo não gira ao redor de seus umbigos, entretanto eu não vou fazer isso. 
Hoje eu só quero te contar como eu estou feliz. 
Eu só quero compartilhar com você da felicidade que eu sinto ao saber que esse filme, mesmo com todos os percalços e mesmo com toda a crítica, chegou aos cinemas!

Pode parecer besteira, pode parecer “mimimi" pra quem cresceu se vendo representado em todo tipo de figuras de poder. Grandes heróis, grandes vilões, grandes líderes. 
Mas te garanto que não é besteira e definitivamente não é “mimimi”. 
Não pra mim!
Não pra milhares de mulheres nerds que, como eu, não viam a hora de filmes assim aparecerem! 
Representatividade importa e, me desculpe a franqueza, se você não consegue perceber isso, ou cresceu sendo representado de todas as formas (positivas) possíveis, ou simplesmente está precisando olhar em volta! 
Tecnologia do Blogger.