YOU - A realidade das relações doentias romantizadas pelo público

Como estereótipos tornam atitudes ruins em situações naturais


Chegou ao catálogo da Netflix em dezembro a série YOU, um drama carregado de suspense.
Exibido em setembro pelo canal americano Lifetime e baseado no livro homônimo de Caroline Kepnes, a produção causou grande movimentação nas redes e algumas manifestações polêmicas por parte do público, principalmente no twitter.

A série conta a história de Guinevere Beck (Elizabeth Lail, Princesa Anna de Arendelle em Once Upon a Time), uma aspirante a escritora que se muda para Nova York a fim de realizar seu sonho profissional, cidade onde acaba conhecendo Joe Goldberg (Penn Badgley, Dan Humphrey em Gossip Girl), um gerente de livraria que esconde obsessão e - sim - sociopatia atrás de beleza, delicadeza e romance. Joe é capaz de absolutamente qualquer coisa para ter Beck em sua vida, até mesmo assassinatos - assim no plural -, o que torna o aparente conto de fadas em uma história de horror pra nenhum fã de AHS botar defeitos.

Mais do que trazer ao público uma história fictícia que prenda a atenção, YOU aborda temáticas  bastante contemporâneas, a principal pauta no entanto é o relacionamento abusivo.
Na série ele acontece não somente de Joe para Beck mas também de Beck para suas amizades e de suas amizades para outras amizades e de volta para Beck, um show de toxicidade bem escancarada, muitas das quais acabamos por nos identificar, afinal, quem nunca teve uma amiga te criticando all the time ou quem nunca teve sua privacidade invadida por um/uma parceiro/a ou pessoa próxima? 


Acontece que essa relação extremamente tóxica e abusiva de Joe e Beck começou a ser romantizada pelos internautas, fato que levou o próprio ator a intervir. Seria cômico se não fosse trágico. Penn tem respondido a vários tweets alertando ao público que seu personagem é um sociopata, que aquilo não é natural e tampouco desejável. É assustador que tais alertas sejam necessários.

Pessoas tem exaltado e desejado a relação doentia de Joe e Beck, chegando ao ponto de justificar as atitudes como "provas de amor", coisa grave, gravíssima eu diria. 
A aparência do ator que interpreta o sociopata Joe é um dos fatores que levam o público a romantizar as atitudes do personagem. Tem-se a ideia de que um sociopata tem cara de sociopata, aquela ideia de que vilões tem uma aparência desagradável, impressão hollywoodiana que está impregnada no imaginário do público há muito, muito tempo. A aparência de Penn Badgley literalmente tem sido motivo para que pessoas romantizem e naturalizem as atitudes doentias do personagem que o ator interpreta. Aos leitores desse portal, trago verdades difíceis de engolir: Vilões nem sempre parecem vilões, e arrisco dizer que no caso das relações abusivas, inicialmente eles NUNCA parecem vilões pois são pessoas a quem nos afeiçoamos. É duro mas é verdade.

Vivemos em uma sociedade extremamente machista, patriarcal, onde os papéis são impostos e onde qualquer ato de liberdade é condenado, e por liberdade falo de coisas simples como ter sua privacidade respeitada - questão de saúde mental-. É grave em um mundo, um momento, onde tantas mulheres são mortas simplesmente por serem mulheres que algo do tipo romantizar relações doentias esteja acontecendo. Joe é um sociopata, um abusador psicológico quando se trata de Beck e físico quando se trata de pessoas que "atrapalham" o seu caminho, chegando ao ponto de matar seu próprio objeto de obsessão, e infelizmente essas atitudes estão mais próximas de nós do que imaginamos.



Em 2011 o estado do Espírito Santo meu país foi primeiro lugar em morte de mulheres por agressão - de seus parceiros, pessoas próximas - e esse número cresceu nos últimos 8 anos. Em 2011, de cada 100 mil mulheres no Espírito Santo, 11.200 morreram nas mãos de seus parceiros ou ex-parceiros e esse é um número alarmante, principalmente pensando nos motivos fúteis que levaram a tais crimes, e isso foi somente no Espírito Santo.

Romantizar a atitude de Joe é ignorar todos os dados e números, todas as denúncias, todas as mortes. Romantizar a atitude de Joe é ignorar o que a produção aborda também, é ignorar além disso o que mulheres sofrem todos os dias nas mãos de seus parceiros. Ignorar a atitude de Joe é desconsiderar as possibilidades de isso estar acontecendo nesse momento com uma amiga, uma irmã, uma vizinha ou qualquer mulher que você conheça.

Beleza e aparência não anula abuso, não é parâmetro para definir se alguém é ou não um vilão, não anula culpa, não torna crimes menos graves e não faz de uma relação doentia algo desejável.
YOU não é um exemplo, é um alerta.
Tecnologia do Blogger.