Ads Top

FaZe Clan e Immortals são os representantes do Brasil nas finais mundiais da Rainbow Six Pro League, no Rio de Janeiro

Após conquista brasileira na última edição, equipes tentam manter o título no país; evento para mais de 20 mil pessoas será na Jeunesse Arena, no Parque Olímpico

As disputas da região latino-americana da Rainbow Six Pro League chegaram ao fim, com emoção até o último instante. O público conheceu, na última quarta-feira (24), as duas representantes brasileiras das finais mundiais do campeonato, que acontecerão na Jeunesse Arena, no Parque Olímpico do Rio de Janeiro, nos dias 17 e 18 de novembro: FaZe Clan e Immortals.

Mais seis equipes de outras três regiões (América do Norte, Europa e Ásia/Pacífico) participarão da etapa decisiva. Cinco delas já definidas: Evil Geniuses e Rogue (América do Norte), Nora Rengo e Fnatic (Ásia-Pacífico) e G2 Esports (Europa). Nesta quinta-feira, Mockit Esports, Team Secret e Millenium disputam a última vaga da Europa.  

A FaZe Clan, campeã regional pela segunda vez consecutiva, garantiu uma das vagas com duas rodadas de antecedência. Já a Immortals precisou esperar até os últimos momentos da primeira fase para comemorar seu lugar nas finais mundiais. Quem não teve motivos para celebrar foi a Black Dragons, que acabou rebaixada para a divisão de acesso do torneio. E a paiN Gaming, sétima colocada da fase regional, disputará a repescagem tentando continuar na elite da Pro League.

Em seu último compromisso, a FaZe fez confronto equilibrado com a Black Dragons no mapa Fronteira. Com a adversária precisando do resultado para ter chances de não ser rebaixada de forma direta, a equipe de Gabriel “cameram4n” Hespanhol fez boas jogadas e conseguiu dois match points, porém permitiu o empate em 5 a 5.

Immortals e Ninjas in Pyjamas fecharam a noite de disputas com outro duelo de muita igualdade. Com os resultados das outras partidas, as duas equipes entraram com suas posições definidas. O time comandado por Lucas “yuuK” Rodrigues terminou com a segunda vaga para as finais mundiais da Pro League, mesmo com a derrota por 6 a 3 para os Ninjas, que já estavam livres de qualquer chance de rebaixamento.

Isso porque no jogo que antecedeu este último duelo, a Team Liquid acabou ficando no empate com a Team oNe em 5 a 5, perdendo as chances de ficar com a segunda vaga para as finais. Com isso, os atuais campeões do torneio não poderão defender o título no Rio de Janeiro. E com a derrota da paiN Gaming para a BootKamp Gaming e o empate da Black Dragons contra a FaZe Clan, a NiP não teria como sair da sexta posição.

Agora, FaZe e Immortals terão a missão de manter o Brasil no posto mais alto da modalidade. De origem norte-americana, as organizações entraram no cenário brasileiro neste ano e querem consolidar suas marcas, mostrando o porquê são referência nos eSports.  

Em maio, a Liquid mostrou a força do país para o mundo ao derrotar a PENTA Sports, considerado o melhor time do mundo, na decisão e faturar o caneco da sétima temporada da Pro League. Foi a primeira vez que uma line-up brasileira alcançou esse feito.
 
Em 2017, o torneio teve uma edição realizada em São Paulo, com ingressos esgotados em menos de uma hora e uma torcida calorosa, que acompanhou e vibrou muito. A expectativa é de que mais uma vez a Pro League seja um sucesso de público e que leve aos fãs confrontos do mais alto nível.

Tecnologia do Blogger.