Ads Top

Abracadabra, um clássico!

I Put A Spell On You!


Para quem assistiu a clássica Sessão da Tarde na década de noventa, lembra que essa época, por mais que no Brasil não haja comemorações referentes ao Halloween, sempre uma produção com a temática ia ao ar. Crianças fantasiadas, pedindo doces, fazendo travessuras, o dia de todos os santos lá nas terras do Tio Sam é comemorado com muita participação. E dentre tantas aventuras, Abracadabra se tornou uma produção que evoca todos os bons, também maus, agouros do dia da bruxas, tudo isso com um humor atemporal e uma narrativa que abraça diversos elementos da mitologias das feiticeiras. Sendo assim, vamos entender porquê este pode ser considerado um clássico a ser visto!

Após se mudar para Salem, Massachusetts, o adolescente Max Dennison explora uma casa abandonada com sua irmã Dani e sua nova amiga Allison, no Dia das Bruxas. O jovem não acredita nas histórias que Allison conta sobre o passado da cidade,  e isso faz com que Max acidentalmente liberte um trio de irmãs bruxas que moravam na casa, Winifred Sanderson, Sarah Sanderson e Mary Sanderson. Assim, para impedir que as feiticeiras lancem um feitiço que as deixará viver para sempre, será necessário derrota-las antes do amanhecer.

O interessante da produção dos estúdios Disney é a base utilizada para contar essa história.
A narrativa faz referência ao episódio gerado pela superstição e pela credulidade que levaram aos últimos julgamentos por bruxaria na pequena povoação de Salém, Massachusetts, numa noite de outubro de 1692. O medo da bruxaria começou quando duas meninas começaram a apresentar comportamentos estranhos, agressivos, logo foram "diagnosticadas" com uma influência sobrenatural sobre suas vidas. Nisso, três mulheres foram acusadas de terem feito algo: Tituba, que era escrava de uma das garotas, Sarah Good, uma moradora de rua e Sarah Osborne, uma idosa pobre.
Toda essa caçada levou a cerca de 200 pessoas presas por práticas de ocultismo, sendo que 19 mulheres foram mortas enforcadas, acusadas de bruxaria.


Mas, uma história assim jamais poderia ser contada por um estúdio que utiliza da magia como algo bom para as crianças.
David Kirschner, produtor e roteirista do longa, foi quem criou a trama, baseada numa história que contava aos filhos sobre o Dia das Bruxas. Quando apresentou o projeto, a ideia era até mesmo traçar uma linha pelo terror, porém isso foi alterada para um clima maior de comédia, com muitos elementos fantásticos. Tanto que as artes conceituais iniciais detalhavam criaturas mais assustadoras e até mesmo a residência das irmãs Sanderson, mais escura, suja e macabra.

Mudanças realizadas, gravações realizadas, produção feita.
A direção ficou a cargo de Kenny Ortega (Existem boatos que Steven Spielberg foi cotado para o projeto), que mescla bem os toques de aventura e mistério. Executa bem as sequências de ação, magia, justamente utilizando com assertividade os efeitos práticos e visuais da época. Junto a isso, temos um design de produção que nos ambienta e muito a esse contexto mágico. Não apenas na casa das bruxas, que mais parece ter saído de conto de fadas, mas também quando os protagonistas perambulam por cemitérios, ruas vazias, uma escola a noite. Apesar de ser um filme infantil, existe um clima soturno para dar ainda mais força a temática de Dia das Bruxas.

E nessa temática que Abracadabra se torna um clássico para este dia tão importante na cultura norte-americana e que se tornou icônico dentro da cultura pop, devido a outras obras que também se apropriam de lendas dessa mesma época.
Desta forma, o roteiro trabalha com elementos já conhecidos do que é místico e referencial as bruxas, como as conjurações, as vassouras, o livro de feitiços feito de couro de pele humana, o jeito de sedutor, as habilidades de voo, invocações, o sal que as espanta e a busca por uma vida eterna. Logicamente, alguns desses pontos foram repetidos em outras aventuras que conhecemos, só que nesta produção tudo tem um toque bem humorado, o que faz com que tenhamos um apreço maior pelas três bruxas, do que com os protagonistas humanos.
Sem falar no clássico número na festa onde Winifred, interpretada pela talentosa Bette Midler, canta "I Put Spell On You", que se torna uma das sequências musicais mais divertidas e bem contextualizadas do cinema, não é apenas uma canção para completar a história, todo o contexto é importante para aquele momento de maldade conjurada.

Abracadabra é uma produção que evoca todos os elementos que fazem o Dia das Bruxas ganhar um lugar importante dentro do universo da cultura pop. A história que faz alusão a fatos reais, trabalha os pontos e características que fazem das bruxas seres poderosas, inteligentes, ardilosas, nem sempre malvadas. Logicamente, falar desta película é também trazer uma memória afetiva, uma nostalgia da época de filmes a tarde, sem preocupação com as coisas da vida, entretanto isso não retira o valor que o longa possui.
Se hoje temos referência ao Dia das Bruxas, as fantasias, os doces, os mistérios que rondam a data, é justamente devido ao que este filme nos mostrou na década de noventa, deixando muitos de nós com vontade de sair para pedir guloseimas a noite. Ou, para alguns, a vontade que bateu foi de adentrar uma residência antiga, assustadora, só para ver se o que contam é realmente verdade. 
Em todo caso, temos um clássico da cultura pop, sem a necessidade de usar encantamentos no espectador! Será mesmo que não foi usado?

Feliz dia da bruxas!
Tecnologia do Blogger.