Ads Top

Os Jovens Titãs em Ação! No Cinema - CRÍTICA

De forma despretensiosa temos o melhor filme de equipe da DC Comics


Animações têm a capacidade de usar o discurso do roteiro para falar aquilo que muitos querem dizer há um certo tempo. Principalmente o público para a bagunça que é o universo cinematográfico da Dc Comics! Entre uma piada e outra, os Jovens Titãs vão estabelecendo que muitas vezes para se viver uma boa aventura, referenciando outras obras e clássicos que permeiam a cultura pop, não é necessário ficar preso ao "sombrio e realista", simplesmente se deve ligar o nonsense e ousar no colorido, no bom humor e até mesmo, com músicas.

Os Jovens Titãs não são levados a sério pelos vilões que atacam a cidade, muito menos pelos outros heróis que compõem a Liga da Justiça. E atualmente, o auge do reconhecimento de um herói é ganhar um filme! Porém, os heróis adolescentes estão longe de estrelar um longa-mentragem. Para que então isso venha acontecer, eles decidem confrontar o seu futuro arqui-inimigo, Slade, o que irá revelar que existe algo de errado com todo esse universo dos outros combatentes do crime no cinema.

Peter Rida Michail e Aaron Horvath dirigem o longa sem tantas inovações no quesito animação, porém abraçados a um roteiro que está ali para rir do que já aconteceu com a empresa de quadrinhos em questão nos cinemas, tudo se torna um trabalho exímio e divertido. Há toda uma fluidez nos traços, o que melhora e muito o aspecto da série de televisão homônima, ao mesmo tempo que os ambientes também ganham toques em 3D. Junte isso ao colorido enérgico de cada momento de batalha, com muitas luzes e brilho quando os poderes dos heróis são usados. Além de uma homenagem bem empregada aos desenhos clássicos da DC, onde os personagens assumem o design dos mesmos.

Logicamente, o grande triunfo dos Jovens Titãs no cinema é justamente fazer graça de inúmeros fatores da própria produtora, da empresa de quadrinhos e da indústria, como os vários anúncios de filmes que acontecem anualmente, as produções que se modificam, continuações, longas que dão certo gerando uma superioridade sobre outros personagens, o bigode do Henry Cavill. Tudo é colocado de uma maneira muito branda e simples, fazendo com o espectador mais atento, principalmente mais velho, capte as críticas que o roteiro vai deixando no decorrer da película.
O roteiro discute principalmente o que faz de um herói um ser importante e o porque de precisarmos dessas figuras emblemáticas. E é com o Robin que estes questionamentos surgem.
O interessante que de uma forma simples, essas nuances do roteiro vão acontecendo, entre uma piada ou outra, uma lição sobre acreditar na sua capacidade se constrói em tela, sem necessidade alguma de ser piegas.

Nisso a produção cumpre um papel até hoje inédito da DC Comics no cinema: entregar a melhor equipe de heróis em um filme. 
Os saudosistas, que muito questionaram e xingaram a nova versão do supergrupo que estreou em 2013, devem estar torcendo o nariz, ou a língua, com a interação e camadas nas personalidades dos personagens da animação, que deste modo, constroem e estabelecem a dinâmica já conhecida das outras mídias que apareceram. Feito que nem mesmo a Liga da Justiça em seu longa conseguiu!

Há também o exímio trabalho da dublagem brasileira: Charles Emmanuel (Mutano), Eduardo Borgherth (Ciborgue), Luiza Palomanes (Estelar), Mariana Torres (Ravena), Manolo Rey (Robin) e Ricardo Schnetzer (Slade Wilson), fazem de cada frase, brincadeira, piada um momento de extravasar na graça. As vozes conhecidas ajudam ainda mais na criação da empatia para com o público, o que garante a diversão de adultos e crianças nas sessões.

Os Jovens Titãs em Ação! No Cinema é divertido, despretensioso, honra os quadrinhos da DC, presta homenagens, questiona a indústria cinematográfica dos filmes de heróis, tudo isso em uma animação simples, cativante e sem a necessidade de "pesar a mão" em grandes questionamentos ou em ter uma lição de moral obrigatória no fim. Os ensinamentos estão presentes, mas vão se construindo ao longo da produção, e entre uma risada ou outra, certamente os pequenos irão se questionar alguma coisa, fazendo com os pais tenham trabalho nas respostas em casa. Assim, se Warner continuar realizando desenhos como este, ficará difícil para os live actions dos superamigos conquistarem o público e principalmente realizarem o esta película se propôs desde o início, e entregou: diversão!

Nota: 4/5 (Ótimo)
Tecnologia do Blogger.