Ads Top

O E-Sport por quem mal conhece


Não é um "joguinho"

Estava eu sentado na Arena DXCMA em Vitória, neste fim de semana, acompanhando o ShowMatch entre dois times League of Legends. Um lugar novo para eu até então!
Não sou jogador, muito menos tenho console em casa, mas quando pequeno tive aquela configuração básica de Super-Nintendo e Super Mário World. Então, quando a disputa começou, algo em mim se comoveu, talvez fosse a narração, as luzes, o som? Não, era a emoção palpável de quem aprecia o esporte, uma emoção que consegue ir além de surpreender, consegue cativar mais um, levando as palmas e comemorações. E lá estava eu, cativo!

Hoje a indústria dos games tem crescido de maneira exponencial e marcada por inúmeros sucessos, não apenas nos títulos ou consoles, mas na movimentação, eventos e inovações de todos aqueles que fazem parte deste mercado. Os games no Brasil movimentam mais de 17,7 milhões de pessoas, arrecadando mais de um bilhão de dólares mundialmente falando, fazendo nome E-Sport ganhar ainda mais força.

Ou seja, vamos além de um simples ato de "jogar joguinho"!

Como site de cultura pop que somos, possuímos uma redação voltada para este nicho nerd, pessoas que possuem o conhecimento necessário para escrever e principalmente, jogam!
Totalmente o contrário deste editor.
Entretanto, com a leitura e revisão das notícias e artigos que produzem, fui percebendo que a obscuridade e até mesmo o preconceito em torno dos games está diminuindo, se afastando, em compasso que a notoriedade do movimento dos "esportistas eletrônicos" tem conquistado visibilidade.
League of Legends, CSGO, conhece?
Os nomes podem ser estranhos, ou simples siglas de algo que não parece fazer sentido, porém para cada time novo que surge destes jogos, surge a chance de vivenciar uma vida diferente.

No mesmo evento do fim de semana, vi adolescentes, jovens, mais novos que eu, empolgados com as disputas, e os que faziam parte dos times em confronto, lidando com cada partida como algo tão importante, como se aquele momento fosse primordial de suas vidas. 
E você pode parar e pensar: "Mas quem pode levar um jogo a sério?"
Quem é profissional nisso! Quem dedica mais de doze horas treinando, estudando, aprendendo e partilhando vida, conhecimento, habilidades em prol de um time.
E pessoas podem ganhar a vida com isso?

Precisamos pensar em qual conceito de vida estamos falando.
Existem normalidades e padrões que colocamos para as coisas que consideramos aceitáveis para se viver, entretanto, o e-sport tem gerado oportunidades únicas para quem joga disputas estaduais, nacionais ou mundiais, e de quem acompanha, até mesmo sonha, em um dia participar de um campeonato internacional.
Pois todo esportista, merece receber por aquilo que faz, merece conquistar o "mundo" com suas habilidades únicas.
E sim, viver de games é possível, contudo, como tudo na vida, é necessário dedicação, estudo e a capacidade de acreditar em algo que muitas vezes as pessoas não irão crer que dará certo.

Quando um espaço, como este em Vitória, da DXC, voltado para o público gamer, e para aqueles que mal conhecem esse "universo", é inaugurado, não é apenas conquista para aqueles que ficam horas e horas jogando, mas é para todos nós que amamos a cultura pop.
Ver pessoas de diversas classes, estilos, pensamentos, reunidas vibrando, comentando, comemorando, é aquela sensação que te leva cativo, a sensação de que a vida abriu um espaço para que o "joguinho" saísse do ostracismo, e mostrasse toda a força que existe, incluindo aquela de unir pessoas diferentes, demonstrando que mais um mundo do universo nerd está ao alcance de todos!


Eu mal conheço o e-sport, não jogo, não tenho habilidades para isso. Mas admiro aquele que sabe, faz e conquista seu espaço a cada dia. 
O preconceito estabelecido e enraizado para com os games pode ainda se fazer presente, na fala de pessoas, em textos pela internet, dentro da casa de muitos que ligam os PC's ou consoles ainda com receio. Quer saber de uma coisa? Com certeza existe um pequeno ou pequena jogador que olha para os grandes proplayers com admiração, esperando o dia que também ele fará um PentaKill numa final do CBLoL, e para eles, fica aqui registrado todo apoio, admiração.
Pois este editor que nada sabia deste mundo da cultura pop, está aqui agora cativo e rendido ao poder do e-sport. O poder de divertir, unir, conquistar e dar vida!

Conheça mais da Arena DXCMA aqui!
Tecnologia do Blogger.