Ads Top

Mamma Mia: Lá Vamos Nós de Novo - CRÍTICA

"There was something in the air that night, the stars were bright, Fernando..."


A maior dificuldade de um crítico é deixar os batimentos cardíacos não falarem mais alto quando algo que tanto é apreciado ganha as telas. Principalmente quando música e cinema se juntam para entregar um espetáculo que carrega um conteúdo importantíssimo da cultura pop, neste caso, as canções do ABBA! Assim, o primeiro Mamma Mia, adaptação do musical homônimo da Broadway, firmou ainda mais o sucesso do grupo sueco, colocou a trilha sonora no topo e fez com que todos desejassem ver mais de Meryl Streep cantando! 
O tempo passou e lá vamos nós de novo à Grécia, desta vez revirando o passado de Donna, descobrindo como tudo teve início para a jornada de Sophie, muito bem acompanhados, musicalmente falando!

Sophie está prestes a finalmente inaugurar o hotel de sua mãe! 
Tudo está conforme o planejado, mas existem algumas coisas que não estão ajustadas, Sky está viajando a trabalho, Bill e Harry não poderão vir a inauguração e o medo se aquilo tudo foi feito da maneira certa. Nisso, as memórias de Donna são mostradas para que venhamos entender que passado e presente tem muito em comum. Incluindo as canções.

Ol Parker nos entrega uma direção simples, executada sem exageros e precisa quando é necessário comandar as sequências musicais. O diretor valoriza a movimentação na hora das coreografias, exalta os aspectos relacionados aos cenários e fotografia, que transformam ambientações em verdadeiras pinturas, principalmente quando estamos acompanhando a história na Grécia. Junte isso a excelente trilha sonora que nos traz novos e reprisa sucessos do Abba, cantados na produção original.
Ao abrir com "When I Kissed the Teacher", já entendemos o ritmo divertido e envolvente que nos espera a medida que a história é contada. Passando pela sequência empolgante de "Waterloo", aos reflexivos e intimistas com "Andante, Andante", "Angel Eyes" e "My Love, My Life", a narrativa vai traçando aspectos e um paralelo para que a tramas que acontecem em tempos diferentes, sejam construídas a partir de um mesmo sentimento.
E neste quesito Lá Vamos Nós de Novo é um musical com tudo que o gênero mais exalta. 
Trabalhar com sonhos, conquistas, perdas e recomeços, já foram e são temáticas de inúmeras produções, mas se existe um elemento maior que faz deste filme algo emblemático são as canções do Abba. As letras e melodias conseguem trafegar do empolgante ao dramático, nos pontos certos, dando o complemento e discurso para que os personagens consigam dizer o que querem, através de seus movimentos e vozes. 


Entretanto, a continuação do filme de 2008 possui problemas e inconsistências. E nem entraremos no mérito temporal de tudo. Pois o arco de Sophie parece não exigir muito do que tanto a personagem fala, tornando a problemática descartável, com um desfecho previsível, fazendo com que o espectador queira apenas ficar nos acontecimentos do passado. Além disso, a direção não se propõem a realizar algo inédito nas sequências das canções, soando como se a câmera tivesse sido ligada e ninguém estava lá para ao menos ter uma ideia que não já foi vista em outros musicais!

Mas nada disso estraga o excelente trabalho demonstrado pelo elenco!
Lily James é Meryl encarnada, trejeitos, falas, postura e que voz! A atriz, interprete de Donna na sua fase jovem empolga nas sequências cantadas, demonstra controle sobre a personagem e entrega novas camadas para o que já havia sido feito. O mesmo acontece com Jessica Keenan Wynn (Tanya) e Alexa Davies (Rosie), que sustentam e mantém a graça, vigor, ânimo das suas versões mais velhas, interpretadas pelas sempre compententes Christine Baranski e Julie Waters. Já Jeremy Irvine, Hugh Skinner e Josh Dylan, os jovens Sam, Harry e Bill, também acompanham o ritmo de boas atuações, contendo tudo o que Pierce Brosnan, Colin Firth e Stellan Skarsgard já haviam feito. Meryl Streep, ainda que pontual, tem seu ótimo e emocionante momento, que poderá levar fãs as lágrimas. Mas é Cher quem rouba a cena e abraça o patamar de grande nome da música. Toda sua performance de "Fernando", eleva a produção graças a sua presença quase que divina!

Mamma Mia: Lá Vamos Nós de Novo é divertido, empolgante, repleto de excelentes sequências musicais. Apesar de uma direção sem inspiração para novidades, a história se torna um complemento para aquilo que não sabíamos, ao mesmo tempo que mantém um legado regado a tornar sonhos uma realidade. Ao final da sessão é impossível não sentir vontade de escutar todas as cações, ou simplesmente sair dançando enquanto as performances ainda estão frescas na memória. 
A união de música e cinema tem esse talento de produzir uma sensação sem igual, onde as letras e sons exemplificam, expõem em tela aquilo que tanto se vivenciou. 
E as canções do Abba são perfeitas para qualquer trajetória. Seja no passado, presente ou futuro!

Nota: 4,5/5(Sensacional)
Tecnologia do Blogger.