Ads Top

Garfunkel e Oates, uma comédia especial

Garfunkel e Oates é aquela dupla para se tocar no churrasco da família
Quando um show de comédia se torna algo que vai além de boas piadas e tiradas absurdamente satíricas, isso na companhia de músicas que falam totalmente aquilo pode acontecer na vida de uma pessoa, tudo aquilo se torna especial. Mas a jornada até este momento é um tanto complicada, e é nisso que Garnfukel e Oates se fundamentam para mostrar em seu stand up todas as situações que torna o seu espetáculo de comédia algo único, sarcástico, irônico, e isso inclui o seu cotidiano.
Garfunkel and Oaks é uma dupla de comediantes americanas composta por Riki Lindhome (Garfunkel) e Kate Micucci (Oates) que começou em 2007 sua trajetória de apresentações. As duas se conheceram em um espetáculo de improviso em Los Angeles, logo foram trabalhar juntas na adaptação de um curta-metragem independente em um musical. O nome escolhido vem de uma homenagem a outros artistas da música: Art Garfunkel e John Oates.
Em sua carreira como comediantes inúmeras situações ganham vida no palco com a dupla. Vida e músicas.
A cada história a ser contada uma nova canção é entoada que vai retratando problemas do dia a dia, descobertas da faculdade, dilemas e pessoas que de alguma forma foram influência para os versos cantados pelas comediantes.

Garfunkel and Oates: Trying to Be Special

O espetáculo 'Trying to be Special' (disponível na Netflix) é aberto com uma das músicas mais interessantes, e até polêmicas da dupla: "Mulheres grávidas são presunçosas". Revelando como uma mulher grávida pode muitas vezes ser petulante com as amigas em seu período de gestação, e isso vai desde informações sobre o nome da criança e o sexo. Tudo isso com direito a uma dramatização sensacional de Oates no palco.

Logo somos levados a entender o que fazer, ou não quando encontramos aquela pessoa na rua que não lembramos o nome, ou que não fazemos questão de lembrar.

E assim, uma leva de canções sobre as desventuras sexuais da dupla, que vão desde o que não fazer, ou fazer, durante o sexo oral, a masturbação no parceiro e com os óvulos congelados, vão de encontro ao espectador. O grande destaque deste momento fica por conta de dois sucessos, que permeiam a Web há um certo tempo: "Experiência bissexual da faculdade" (The College Try) e "Foda meu rabo pois amo Jesus" (The Loophole). A primeira que relata a primeira vez de uma das duas com outra mulher, o que rende muitas expressões de espanto e pavor, e a segunda demonstra a demagogia que existe nos ensinamentos religiosos de diversos lugares a cerca de sexualidade com relação aos jovens, e como os mesmos encontram brechas para driblar certos "preceitos" impostos pelas ordenanças divinas.

Mas nem só de experiências desastrosas ou momentos estranhos se baseiam as canções durante os pouco mais de sessenta minutos de show. Em "Rainbow Connection" a dupla demonstra todo o seu talento em compor canções que falam sobre relacionamento, amor e cuidado. A canção, dedicada a um casal de amigas de Oates (sendo que a mesma após a gravação saiu correndo para ir ao casamento) é entoada pela primeira vez, que rende um dos momentos mais emocionantes da apresentação.

Garfunkel and Oates: Trying to Be Special é aquele espetáculo de humor carregado de boas doses de realidade, verdade e muito sarcásmo. As situações demonstradas através das canções nos fazem relembrar de coisas vivenciadas, ao mesmo tempo que rende um ótimo arsenal de músicas para tocar em diferentes momentos da vida. O importante nisso tudo é que a dupla nos ensina que para ser especial você precisa passar por inúmeros fatos que vão desde os constrangedores aos mais incríveis. E se tudo der certo, ou não, poderá surgir uma ótima canção a partir daí. Se for boa ou não, não importa, o que é válido são as risadas conquistadas. E nisso Garfunkel e Oates são mais que especiais!
Tecnologia do Blogger.