Ads Top

Você precisa assistir Tokyo Godfathers

"Ser capaz de falar livremente é a alma do amor..." Hana em Tokyo Godfathers.


Quando falamos em família, foi-se o tempo onde o comercial de margarina era o que tínhamos como exemplo derradeiro. Hoje as coisas mudaram e por mais que muita gente torça o nariz para os atuais acontecimentos, tais transformações indicam que para um vínculo maior não existem barreiras. 
Este vínculo maior é o que conduz esta fascinante obra, com uma família nada convencional, que nos traz uma lição importantíssima sobre o amor. 

Hana, Miyuk e Gin são moradores de rua em Tóquio, o trio vive junto, dividem a comida, as dores, as conquistas, eles são uma família. Na véspera de Natal, eles encontram uma bebê, abandonada em uma lata de lixo. Temendo que a mesma sofra com o frio e fome, os três a resgatam e logo partem na busca pelos pais da criança, o que proporcionará inúmeras descobertas e surpresas.

A animação japonesa dirigida por Satoshi Kon carrega um traço fluido, principalmente quando transmite em tela as emoções que os personagens estão vivenciando. As expressões faciais em ritmo a ótima dublagem, dão veracidade para tudo o que está acontecendo. Ao mesmo tempo, a fotografia valoriza o inverno, os ambientes, deixando os locais com uma coloração azulada, ora amarelada, principalmente para os momentos de demonstração de carinho e cuidado.

E é sobre cuidado que Tokyo Godfathers sustenta sua narrativa.

Aos poucos vamos descobrindo o passado dos três moradores rua protagonistas, suas perdas, suas escolhas e o que deixaram por uma vida nada confortável. Assim, quando a pequena Kiyoko(batizada por eles com esse nome) entra em suas vidas, temos então uma família sendo desenvolvida, com uma mãe, um pai e uma filha mais velha; com seus conflitos, problemas, mas acima de tudo, amor.
Desta forma nos tornamos espectadores de uma jornada aparentemente voltada apenas para criança encontrada, entretanto logo fica claro que a busca do trio é uma alegoria para que os mesmo escolham ou vivenciem situações que lhes colocará uma nova forma de pensamento e atitudes. O texto então traça uma jornada para Hana, Miyuk e Gin, onde passam a encontrar o seu lugar no mundo, permitindo que cada um experiencie sentimentos para então continuar o caminho.

Logicamente, a produção deixa claro como a vida de quem passar a ter a rua como lar não é algo fácil, além das condições pobreza, existe a violência, o descaso e o olhar julgador de quem passa. Porém, nada disso é barreira para a lição de bondade que assistimos. Desde ir comprar um pacote de fraldas para Kiyoko até uma viagem de trem, se torna, de forma explícita, a demonstração de zelo essencial para a vida.
Tal demonstração é uma aula de como o amor não escolhe classe, credo, cor. 
Todo o anime é uma ode a aceitação, esforço e entrega por outro, pois ninguém esperaria tais atitudes de quem já não tem nada. Contudo, são nesses momentos que o tudo o que possuem saltam em tela: seus valores e carinho!

Tokyo Godfathers em outras palavras, e com uma analogia aproximada, seria como a jornada dos Três Reis Magos ao lado da criança prometida. 
Neste caso, o trio de benfeitores é quem sai recebendo algo, e por tabela, nós aprendemos que nunca estamos vazios, sempre temos algo a doar, a repartir, a dividir. 
Em tempos onde justiça é feita com as próprias mãos e quem é "de bem" violenta por suas crenças, uma Trans, uma Adolescente Problema e um Bêbado Trapaceiro, nos lembram que a bondade está ao nosso alcance todos os dias. Só devemos nos deixar encontrar por ela.

Você precisa assistir Tokyo Godfathers
Tecnologia do Blogger.