Ads Top

Blade Runner - ESPECIAL

O sucesso que veio com o tempo



'Androides Sonham com Ovelhas Elétricas?' de Philip K. Dick se tornou ainda mais conhecido devido a adaptação feita por Ridley Scott para os cinemas em 1982, Blade Runner. Entretanto, a película não se tornou um ícone cinematográfico automaticamente devido a diversos fatores, e com o tempo foi ganhando força e notoriedade, e aos poucos, essa que se tornaria uma das produções mais influentes da sétima arte, alcançou seu devido lugar de referência.

No século 21 a humanidade atingiu o auge do desenvolvimento de androides, que se assemelham totalmente a pessoas normais. Os Replicantes, como são chamados, são colocados como escravos para viver e trabalhar fora da Terra, em colônias. Até o dia em que algumas dessas máquinas se rebelam e isso leva um ex-agente, do esquadrão de elite Blade Runner, a caçá-los.

Essa sinopse relatada de forma simplificada não representa toda a importância desta produção para o cinema. Blade Runner abriu caminho para o que chamamos de sub-gênero Cyberpunk, onde a civilização humana vive em um futuro avançado em tecnologia, mas as condições de vida apresentadas continuam precárias.
Visualmente a produção de Ridley Scott é um espetáculo, o neon empregado, a luminosidade dos letreiros e projeções, a chuva incessante que funciona como recurso imagético e também metafórico, as construções modernas em contraste a uma Los Angeles também decadente que não soube se adaptar ao avanço tecnológico. Assim, o diretor estabeleceu um design que foi emulado e copiado em diversas produções posteriores, demonstrando a possibilidade de se criar histórias distópicas tão únicas em tela.

Além disso, toda a filosofia e discurso sobre vida e morte, longevidade, criação, humanidade, sentimentos que são despertados, as alegorias usadas que demonstram a capacidade do homem em brincar de "Deus", muitas vezes sobrepujando e destruindo sua criação, despertam questionamentos. Até hoje a narrativa apresentada é pauta de inúmeras discussões, gerando então novos conceitos, teorias e informações sobre a história.

Blade Runner pode ter sido um fracasso de bilheteria em sua época e tratado com indiferença pela crítica especializada, mas a ambientação, o tom estabelecido em conta uma história que de forma ficcional retrata o futuro da humanidade, discursos carregados de filosofia e religiosidade, jamais poderão se perder.
Entre lágrimas na chuva e Deckard ser ou não um replicante, fica o nosso total apreço por essa obra tão única! E qualquer duvida, perguntem ao unicórnio sobre a mesa.
Tecnologia do Blogger.