Ads Top

COMENTANDO SÉRIES: DC's LEGENDS OF TOMORROW - 2ª TEMPORADA



O que deveria ser a melhor equipe de super-heróis da TV...

Lembram de quando lançaram o trailer da primeira temporada de Legends of Tomorrow. Ver aqueles personagens, mesmo secundários dentro do Arrowverse, ganharem vida como um super-equipe foi um tanto surtante. Mas então a temporada veio à tona e tivemos uma das séries mais bobas da DC. Conseguiram não só passar a impressão de que as Lendas eram um bando de pastelões, como também destruíram um dos vilões mais implacável do Universo DC, Vandal Savage. 

Então veio a proposta do segundo ano para nós, com as Lendas do Amanhã tendo que lidar com a Legião do Mal que, em sua versão para a TV reunia Damien DarkhMalcom Merlyn e Flash Reverso. Essa formação dos inimigos voltou a criar uma certa expectativa para um melhoria na narrativa do programa, afinal, estamos falando dos três maiores vilões do Universo DC Televisivo; isso inclui o Darkh também, que parece funcionar muito mais aqui do que em Arrow. 

Só que não foi bem assim. Mesmo esses grandes antagonistas estando ali e o Flash Reverso roubando as cenas as vezes, a narrativa da série continuou superficial, com alguns personagens pouco explorados e outros se rebaixando a serem meros bobocas como Ray Palmer ou o Cidadão Gládio. 

Alguns momentos contudo foram interessantes como a participação da Sociedade da Justiça, o retorno de Jonah Hex, uma viajem à Era Arthuriana no episódio Camelot 3000, e até a participação dos jovens George Lucas e J. R. R. Tolkien. Vale lembrar também da Vixen, uma figura um tanto interessante e que só não se destacou mais por conta de um romance bobo e forçado envolvendo a personagem, como ocorreu no ano anterior entre Ray Palmer e a Mulher-Gavião. 

Mas todas essas grandes referências, menções ou participações foram sufocadas pela trama ruim e desinteressante de se acompanhar. Falta suspense no programa, desenvolvimento dos personagens e cenas de ação bem coreografadas, que não explora mais dos poderes de seus personagens.

É como se todos os elementos para uma história verdadeiramente épica estivessem ali, mas a ausência de um roteiro de qualidade acabam transformando essas boas inserções em meras e descartáveis referências. 

Tecnologia do Blogger.