Ads Top

Legion - CRÍTICA

Espisódio 01
O fato é: a loucura sempre vai bem.


Quando anunciado o projeto televisivo do universo X-Men esperávamos algo que já estivesse próximo do que conhecemos do cinema. Ou, da mesma forma que a Marvel Studios, a Fox criasse um universo para compartilhar as mesmas aventuras. Apesar de que nada faz sentido quando o assunto é linha temporal e narrativa dos mutantes na telona. 
Enfim, Legion estreou, visualmente linda, profundamente perturbada.

David Haller não sabe o que é, o que pode fazer e muito menos se a loucura que tanto diagnosticaram é a verdade. Internado após diversos incidentes que ele mesmo causou (ou não), ele entra em contato com uma mutante que acaba por despertar, não apenas o entendimento dos seus poderes, mas o que realmente ele é!

Legion é deslumbrante esteticamente. As ambientações e figurinos nos remetem de início aos anos 70, porém logo uma tecnologia contemporânea toma espaço, então essa brincadeira de espaço-tempo nos faz ainda mais viajar nas loucuras que a narrativa tem para nos mostrar. Da mesma forma os poderes, aqui usando do recurso de câmera lenta, nos apresenta a amplitude e força de um dos maiores mutantes que já existiu, e que está se descobrindo como tal. A direção aproveita os espaços, abusa dos cortes rápidos de câmera e não faz dos flashbacks algo enfadonho!
Aparentemente a Fox está se preocupando e fazendo a lição de casa usando outras séries como referência.

E falando em referências, não há nada claro do universo X-Men e nem alguma presença importante nesse início da série. Sabemos dos mutantes, eles estão sendo caçados, e aqueles que ainda não sabem bem o que são e o que podem fazer são tratados como loucos, ou coisa pior. E isso é um ponto importante da história, resgatar o principal mote de X-Men, a luta dos diferentes dentro de uma sociedade preconceituosa e que não quer entender a disparidade alheia.


Legion é a loucura bem-vinda em meio ao excesso de produções de super-heróis, assim como Deadpool, a sensação de respiro é clara, principalmente pelo fato da série não repetir as mesmas fórmulas já testadas e repetidas em outras emissoras. Do seu jeito peculiar, a história de David tem elementos que ajudarão sua continuidade no universo televisivo. Ao menos espero que a loucura continue, porque um toque de insanidade, sempre cai bem!
Tecnologia do Blogger.